Selecione o idioma para traduzir os textos do blog.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

O que é Religião?

A religião é uma das atividades mais universais conhecidas pela humanidade, sendo praticada por todas as culturas desde o início dos tempos. Contudo, não há uma definição de religião universalmente aceita. A religião parece ter surgido do desejo de encontrar um significado e proprósito definitivos para a vida, geralmente centrado na crença em um ser (ou seres) sobrenatural. Na maioria das religiões, os devotos tentam honrar e/ou influenciar seu deus ou deuses através de preces, sacrifício ou comportamente correto.

Atenção: não venho aqui com esse texto criticar ou expor minha opinião sobre religião, é um texto científico, isento de achismos. Gosto desse tema por ísso coloquei aqui para mais pessoas poderem ler e quero deixar claro que respeito todas as crenças. Comentários desrespeitosos serão apagados.

Surge a pergunta a respeito do que pode ser incluído no que chamamos de  de religião. Podemos, por exemplo, chamar o marxismo-lenismo de religião, ou humanismo ( a crença na humanidade e na razão no lugar de um deus)? Algumas pessoas poderia incluir tais crenças em uma definição moderna de religião como "qualquer coisa à qual oferecemos devoção absoluta"; contudo, tais crenças normalmente não incluem qualquer referência a um ser ( ou deus ) sobrenatural ou máximo. Portanto, é melhor descrevê-las como ideologias e não religiões, embora possam compartilhar muitas das características da religião.

Máscara da África Ocidental usada por curandeiros. Entre muitos povos há uma crença generalizada na magia, a habilidade de mudar o mundo físico atravpes de atos rituais. 


Crenças e práticas

A religião é feita tanto de crenças quanto de práticas. A teologia acadêmica ( especialmente no Ocidente e em relação ao cristianismo) tende a se concentrar na crença. Todavia é importante observar que em algumas sociedades não há uma palavra para religião. Não se trata de um compartimento separado da vida-é um modeo de compreender e viver a própria vida. Mesmo assim, é possível distinguir vários aspectos diferentes em quase toads as religiões. Uma classificação amplamente aceita identifica cinco aspectos: fé, culto, comunidade, credo e código.  A fé é a parte interna da religão; o que as pessoas acreditam, seus sentimentos, de temos e reverência, prece individual, etc. O culto é tudo o que está envolvido na devoção - construções, imagens, altares, rituais, canções sagradas, reuniões de comunidades e assim por diante. A comunidade é o aspecto social da religião- os devotos em um igreja ou templo específicos, a denominação ou seita mais ampla, monfes e freiras, etc. O credo envolve todas as crenças e deias mantidas pela religião como um todo, incluindo escrituras e dideis sobre Deus, anjos, o céu, o inferno e a salvação. O código envolve o modo que as pesoas se comportam devido a suas crenças religiosas e inlui éticas, tabus e ideias sobre o pecado e a santidade.

Famílias e religião

As religiões do mundo podem ser divididas em dois grupos principais - primitivas e universais. As primitivas incluem as religiões tradicionais da África, Australásia, Oceania, algumas regiões da Ásia e os povos primitivos das Américas, além das religiões pré-cristãs da Europa e religões de outros povos antigos. Essas religiões, embora diferentes em detalhes, possuem várias características em comum. Todas elas tendem a ser locais- são específicas para a tribo ou povo que as praticam - e seus praticantes geralmente não as consideram relevantes para outros povos. Dessa maneira, muitos dos mitos e histórias desse tipo de religião lidam com a origem de uma tribo específica. As religiões primitivas remanescentes (  animistas ) tendem a depender em grande parte da tradição oral em ve de escrituras e são geralmente não-missionárias.

O Festival do Ser Supremo na França Revolucionária em 1794. No início, da Revolução Francesa havia um sentimento anticristão considerável. Contudo, em poucos anos, a liderança revolucionária passou a acreditar que a religião era necessária para a estabilidade social e insutroduziu um culto do Ser Supremo.

As religiões universais acreditam ter importância para todo o mundo e tentam, com maior ou menos intensidade, converter pessoas. Além disso, em sua maioria, desenvolveram escrituras que desempenhas um papel central na religião. O islamismo e o cristianismo são exemplos característicos desse tipo de religião universal. Dentro do grupo universal, alguma famílias principais podem ser identificadas A família semítica inclui o judaísmo, o cristianismo  o islamismo, os quais compartilham de uma base comum histórica e geográfica. A família indiana é composta do hinduísmo, do budismo antigo, do jainismo e da doutrina dos sikhs. A família do Extremo Oriente inclui o confucionismo,  o taoísmo e o xintoísmo. Embora qualquer religião normalmente afirme ter sido inspirada por Deus, é importante lembrar que todas elas começam e se desenvolvem em situações históricas, geográficas e culturais específicas que influenciam e moldam a forma tomada pela religião.

Outra forma de classificar grupos de religiões é a distinção entre aquelas com um único deus ( monoteístas) e aquelas com vários deuses( politeístas ). As religiões monoteístas incluem o judaísmo, o cristianismo, e o islamismo. As religiões politeístas incluem as religiões antigas gregas e germânicas e várias religiões primitivas remanescentes.

Religião e secularismo

No século atual, particularmente no Ocidente, algumas pessoas têm notado sinais de declínio na religião e sua substituiçao pelo secularismo (uma crença de que o mundo físico é auto-suficiente e pode ser perfeitamente compreendido pelo discernimento da ciência moderna, sem consultas a explicações sobrenaturais). Embora seja evidente que em algumas sociedades haja um declínio na religião organizada, há poucas provas de que o mesmo ocorra em relação à religiosidade( sentimentos religiosos). Apesar de em muitos países do ocidente um número cada vez menor de pessoasestar frequentando regularmente a igereja, a maioria afirma acreditar em Deus. Tal comportamento podeindicar uma mudança nos padrões de religiosidade, e não necessariamente declínio. Um exemplo disso é o aumento de novos movimentos religiosos em sociedades ocidentais, oferecendo religiões alternativas não-disponíveis no passado. Desse modo, grupos como a meditação transcedental, a Igreja da Unificação  ( seita do reverendo Moon), a Self-Realization Fellowship( cuja organização faço parte), o movimento Hare Krishna e outros atraem seguidores porque, em uma época e mudanças rápidas, muitas pessoas estão desapontadas com religiões tracicionais, embora ainda conservem uma religiosidade básica.

Deve-se lembrar também que enquanto a religião organizada parece estar declinando no Ocidente, na maioria das regiões do mundo as principais religiões universais  especialmente o crisitianismo e o islamismo) estão aumentando a uma velocidade considerável. Desse modo, a religião- sempre presente e em constante mutação - continua sendo um fenômeno quase universal.

 Fonte: Enciclopédia Compacta de Conhecimentos Gerais, Istoé Guiness, Editora Três, 1995.

domingo, 7 de outubro de 2018

Para não impedir sua marcha para o progresso, não transforme coisas banais em importantes, nem se concentre em ninharias em detrimento daquilo que é realmente essencial. Ações meramente impulsivas, incompatíveis com tarefas verdadeiras, são indesejáveis.

Paramahansa Yogananda, em um Para-gram.



sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Exposição na Seara da Ciência retrata biodiversidade da caatinga

As belezas e curiosidades da fauna e flora da caatinga podem ser descobertas na exposição Caatinga um novo olhar – entre nesse clima, em cartaz até novembro na Seara da Ciência, equipamento de divulgação científica e tecnológica da Universidade Federal do Ceará. A visitação é gratuita e aberta ao público.

A mostra tem o objetivo de valorizar a biodiversidade regional e estimular a educação ambiental. Nela, os visitantes têm a oportunidade de ver imagens da fauna e flora do bioma, percorrer circuitos informativos sobre tecnologias sustentáveis, participar de jogos com dicas para preservação e conservação locais e ouvir o canto de 10 aves da região.

A mostra está aberta à visitação na sala 1 da Seara da Ciência (Rua Abdenago Rocha Lima, s/n, Campus do Pici), de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 12h e das 14h às 17h.




segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Universo e cosmologia

O estudo da origem e estrutura do universo é conhecido como cosmologia. No século XVII, pensava-se que o universo fosse estático, infinito e imutável. A cosmologia moderna teve início na década de 20, quando o astrônomo norte-americano Edwin Hubble mostrou que a distância entre galáxias está aumentando e que o universo está, portanto, se expandindo.


Há várias teorias que descrevem a origem e o futuro do universo. Um dos modelos, que hoje tem pouca aceitação, é a teoria do estado estacionário, que supõe que o universo sempre existiu e sempre existirá. Atualmente a maioria dos cientistas concorda que o universo se originou de uma grande explosão, o big bang; entretanto, há controvérsias quanto ao futuro do universo.

A origem do universo

Acredita-se que o universo tenha cerca de 14 bilhões de anos ( as estimativas variam entre 11 bilhões e 17 bilhões de anos). Atualmente, é de aceitação geral que o universo se originou em um evento cataclísmico conhecido como big bang. Modelos teóricos do big bang sugerem que os eventos iniciais na história do universo ocorreram muito rapidamente.

No início, o universo estava concentrado num ponto diminuto e era composto de uma mistura de diferentes partículas subatômicas, incluindo elétrons, pósitron, neutrinos e antineutrinos, juntamente com fótons (partículas que carregam luz). A temperatura era de 100 bilhões de graus Celsius e sua densidade, 4 bilhões de vezes maior que a da água.

Um segundo depois, a temperatura caiu para 10 bilhões de graus Celsius. Pósitrons e elétrons opostamente carregados aniquilaram-se mutuamente, liberando energia. Núcleos estáveis de hélio, consistindo de dois prótons e dois nêutrons começaram a se formar.

Três minutos após a criação do universo, a temperatura caiu para 900 milhões de graus Celsius, baixa o suficiente para a formação de núcleos de deutério  ( um isótopo de hidrogênio), compostos por um próton e um nêutron.

Trinta minutos depois, a temperatura era de 300 milhões de graus Celsius. Restavam poucas das partículas originais e e a maioria dos elétrons e prótons havia sido aniquilada por suas antipartículas. - pósitrons e antiprótons. Muitos dos prótons e nêutrons restantes recombinaram-se para formar núcleos de hidrogênio e hélio, e a densidade do universo era cerca de um décimo de água. O universo continuava a se expandir e o hidrogênio e o hélio começar a formar estrelas e galáxias.

Indícios do big bang

Em 1868, o astronômo amador inglês Sir Willian Huggins (18₂4-1910) notou que linhas nos espectros de certas estrelas se deslocavam na direção da extremidade vermelhado espectro ( que vai do azul ao vermelho). Huggins percebeu que isso ocorria devido ao efeito Doppler, que havia sido descoberto em 1842. Assim como o som de um veículo em movimento parece mudar de intensidade enquanto ele passa, a cor da luz de uma estrela também muda de comprimento de onda à medida que  estrela se aproxima ou se distancia de nós. As estrelas que se afastam da Terra têm sua luz deslocada em direção à extremidade vermelha do espectro ( deslocamento para o vermelho), enquanto aquelas que se aproximam de nós exibem um deslocamento em direção à extremidade azul.

Em 1929, Edwin Hubble, que também trabalhava na classificação de galáxias- analisou os deslocamentos para o vermelho de várias galáxias. Hubble descobriu que a velocidade de afastamnto de uma galáxia é proporcional à sua distância- ou seja, quanto mais distante a galáxia, mais rapidamente ela se afasta. Este princípio foi formulado como lei de Hubble, que tem a seguinte fórmula: velocidade= H x distância, onde H é a constante de Hubble, mas o valor mais aceito é 70 km por segundo por megaparsec (um megaparsec equivale a 3,26 milhões de anos-luz ). Portanto, uma galáxia que se afasta a 70 km/s s estaria a 326.000 anos luz de distância.

Radiação cósmica de fundo

Mesmo hoje, bilhões de anos após o big bang, os astrônomos são capazes de detectar um "eco" daquela descomunal explosão, na forma de radiação de microondas. A radiação tem intensidade máxima no comprimento de onda de 2,5 mm representa uma temperatura de -270º C ou 3 K. Nas proximidades do Sistema Solar, a radiação parece ter intensidade igual em todas as direções. 

A aparente uniformidade da radiação de fundo constituiu um problema para os defensores da teoria do big bang, pois leva à questão de como o universo teria se tornado tão irregular, com grupos de galáxias em certas áreas e espaço vazio em outras. Uma possível resposta surgiu em 1992, quando os dados do satélite COBE mostraram minúsculas diferenças de temperatura (+ ou - 0,27 milikelvins )na radiação de fundo. Estas diferenças foram interpretadas como sendo indícios de flutuações infinitesimais na densidade que, por sua vez, levaram a efeitos gravitacionais locais na bola de fogo em expansão. Com o início da instabilidade gravitacional em certas regiões, a matéria começaria a se aglomerar, dando origem a protogaláxias.


Ecos do universo primordial. Este mapa de microondas do céu foi criado utilizando-se os dados do satélite COBE ( Cosmic Background Explorer) e mostra minúsculas variaçãoes ( entre o azul e o rosa)  na radiação cósmica, cerca de 300000 anos após o big bang, que podem explicar a origem da "irregularidade" do universo.

O futuro do universo

O universo ainda está se expandindo, mas a quantidade de matéria que ele contém irá deteminar se a expansão continuará indefinidamente ou não. Um possível final para o universo é o chamado big crunch( a grande contração). As galáxias e outras matérias podem estar se afastando, mas seu movimento é restringido por sua mútua atração gravitacional. Se houver matéria suficiente no universo, a gravidade acabará vencendo e começará a puxar novamente as galáxias, fazendo com que o universo experimente um fenômeno oposto ao big bang - o big crunch.

O que acontecerá depois do big crunch é difícil de imaginar. Uma possibilidade é que se forme um novo universo, talvez contendo tipos de partículas completamente diferentes do nosso universo atual. Essa teoria cíclica sugere que o universo pode continuar a expandir a contrair alternadamente.

Entretando, pode não haver matéria suficiente no universo para que ocorra o big crunch. Se for assim, o universo continuaraá a se expandir eternamente. Apesar de isso significar que pode não haver um "fim" do universo, é provável que haja um limite do universo observável. A lei de Hubble afirma que a velocidade do afastamento das galáxias é proporcional à sua distância. Uma galáxia que esteja a uma distância tal que viaje à velocidade da luz não será mais visível, e isso irá, portanto, marcar o limite do universo que podemos ver. O limite do universo observável encontra-se a uma distância entre 11 e 17 bilhões de anos- luz.

Veja abaixo um vídeo super legal do canal Nerdologia, falando sobre muitas coisa que citei aqui.




Fonte: Enciclopédia Compacta de Conhecimentos Gerais, Istoé Guiness, Editora Três, 1995.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Feira da Escola de Artes e Ofícios

Quais seus planos para o fim de semana? Neste final de semana, a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS) realiza mais uma edição de sua feira de produtos criativos, desta vez no Parque do Cocó. A feira acontecerá nos dias 29 e 30 de setembro, das 16 às 20h, por ocasião do 3ª Ecléticos Livre Festival. Reunindo artesãos, alunos e ex-alunos da Escola, a feira traz produções artesanais em couro, bijuteria, cerâmica, renda e tecido, além de pinturas, esculturas e espaços de gastronomia. O acesso é gratuito e livre. As fotos abaixo são de uma outra edição desta feira.




Este festival traz ainda, além da feira de economia criativa, ações formativas e feira gastronômica, performances e shows musicais. No sábado (29), sobem ao palco a Banda 4 ventos (CE), Liga dos Ritmistas (CE), Estrela Leminski e Téo Ruiz (PR), NoPorn (SP) e Priscila Tossan (RJ). Já no domingo é vez de GhettoRoots (CE), Lia Paris (SP), Tuyo (PR) e Curumin (SP). Os shows, nos dois dias do festival, têm início às 16h e vai até 22h.

Que tal conferir? 

Resuminho: 
Serviço: 3º Fuxico da Escola – Feira de Produtos Criativos da Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho
Dias: 29 e 30 de setembro
Local: Parque do Cocó (Av. Padre Antônio Tomás, próximo ao Anfiteatro do Parque)
Horário: das 16h às 20h
Mais informações: (85) 3238.1244

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Vejam estas fotos desta incrível escultura. É uma estátua de mármore, datada de 1751, intitulada 'La Pudicizia Velata' (A Modéstia Velada), de Antonio Corradini. Ela fica exposta na Cappella Sansevero, em Nápoles, Itália.







Fonte: Dinastia Tudor/ Tudor Brasil

domingo, 23 de setembro de 2018


A ARTE DE SER FELIZ


Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola.
Pardais que pulam pelo muro.
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.
Ás vezes, um galo canta.
Às vezes, um avião passa.
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.


Cecília Meireles 

Arte: House with broom trees, Isaac Levitan




quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Consolo na Praia

(Carlos Drummond de Andrade)

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento…
Dorme, meu filho.