Selecione o idioma para traduzir os textos do blog.

segunda-feira, 1 de julho de 2019


Trecho do poema "Song of myself", de Walt Whitman.


É hora de me explicar — vamos ficar de pé.

O que é conhecido eu dispo,
Lanço todos os homens e mulheres comigo ao Desconhecido.


O relógio aponta o momento — mas o que a eternidade aponta?

Até aqui já exaurimos trilhões de invernos e verões,
Faltam trilhões pela frente, e mais trilhões pela frente deles.

Nascimentos nos trouxeram riqueza e variedade,
E outros nascimentos nos trarão riqueza e variedade.

Não digo que um é maior e outro menor,
O que cumpre seu período e espaço é igual a todos.

A humanidade foi assassina ou ciumenta com você, meu irmão, minha irmã?
Sinto muito, eles não são assassinos ou ciumentos comigo,
Tudo é gentil comigo, não levo em conta o lamento,
(O que eu tenho a ver com lamento?)

Eu sou um ápice de coisas feitas e sou a cerca de coisas por vir.

Meus pés atingem o vértice dos vértices das escadas,
A cada degrau pencas de eras, e pencas maiores entre os degraus,
Os de baixo bem percorridos, e ainda subo e subo.

Passo a passo se curvam fantasmas atrás de mim,
Lá embaixo eu vejo o imenso Nada primordial, sei que estive lá,
Esperei invisível e sempre e dormi na neblina letárgica,
Não me afobei, nem me feri no carbono fétido.

Por tempos fui abraçado — por tempos e tempos.

Imensos foram os preparativos pra mim,
Leais e legais os braços que me ajudaram.

Ciclos levaram meu berço, remando e remando que nem barqueiros alegres,
Pra me alojar os astros deslocaram as órbitas,
Mandaram influências pra cuidar do que me ampara.

Antes de nascer da minha mãe gerações me guiaram,
Meu embrião não teve torpor, nada podia abafá-lo.

Por ele a nebulosa coeriu em orbe,
Longos, lentos estratos ali repousaram,
Vastos vegetais lhe deram sustento,
Sáurios monstruosos o transportaram na boca e colocaram com cuidado.

Todas as forças foram firmemente empregadas pra me completar e deleitar,
Agora aqui estou com minha alma robusta.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Erika! Um texto grandioso para ser lido e relido. Há metáforas grandiosas e simbologias explendidas. Grande beijo.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Comentários desrespeitosos serão apagados. Seja muito bem-vindo e aproveite sua visita.