sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Esta é a imperatriz Alexandra Feodorovna da Rússia, esposa do último czar, Nicolau II, por volta de 1894. Impopular entre o povo e na corte, tanto por ser alemã, introspectiva, quanto pela demora de um herdeiro, e pela consequente presença do monge siberiano, Grigori Rasputin, Alexandra, ou "Alix'', como era chamada na família, tinha recorrentes problemas de saúde, como dores nas costas e ciática, e chegou a se controlar com ópio. Foi assassinada aos 46 anos, em 1918, nos Montes Urais, Ekatarimburgo.
Outro apelido seu apelido era " Sunny ", mas desde a morte da mãe e irmãos se tornou fechada e melancólica. Em Ekaterinburg fazia suásticas nas janelas ( um símbolo de sorte então, antes do Nazismo). 

                                               


Extraído do grupo do Facebook Romanov, a última dinastia da Rússia.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Avatar - A Lenda de Aang

Já faz um certo tempo que um amigo havia indicado uma série para assistir e eu, por ter outras coisas para ler/assistir acabei protelando. Mas, nesta semana encontrei um vídeo no Facebook de uma página super legal. No final dessa publicação eu deixo o link de onde extraí o vídeo. Achei bem intressante e quis compartilhar com meus leitores. 
Assista até o final, aposto que você vai gostar bastante!

                                               




Como meu amigo havia me dito, existem diversos ensinamentos incorporados aos episódios e são exemplificadas de forma bem didática as filosofias do budismo e do taoísmo. 
O nome da série é Avatar, a lenda de Aang e é em desenho animado. Está disponível no Netflix.

É uma boa opção para quem procura algo para assistir.

Beijinhos!



Esse é o link do canal no YouTube : Meteoro Brasil


sábado, 9 de setembro de 2017

HUMILDADE


HUMILDADE

Tanto que fazer!
livros que não se leem, cartas que não se escrevem,
línguas que não se aprendem,
amor que não se dá,
tudo quanto se esquece.
Amigos entre adeuses,
crianças chorando na tempestade,
cidadãos assinando papéis, papéis, papéis...
até o fim do mundo assinando papéis.
E os pássaros detrás de grades de chuva.
E os mortos em redoma de cânfora.
(E uma canção tão bela!)
Tanto que fazer!
E fizemos apenas isto.
E nunca soubemos quem éramos, 
nem para quê.

Cecília Meireles (1954)


Imagem: Victor Gabriel Gilbert


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

7 de setembro - Dia da Independência!

Hoje comemora-se o dia da Independência do nosso país. Diversas cidades do país todo realizam desfiles cívicos no dia de hoje. Escolas, corporações militares e outras instituições desfilaram em todas as regiões, comemorando o acontecimento.

Virou até tema para o Doodle do Google. Feriado nacional, esta data marca o famoso "Grito do Ipiranga", há exatos 194 anos, em 1822. O príncipe regente Dom Pedro I realizou a proclamação da independência do Brasil em relação a Portugal, nos tornando livres de sermos colônia de exploração. O fato foi consumado em sua totalidade apenas em agosto de 1825, quando a corte portuguesa reconheceu o ato em caráter oficial. 

Além de ter iniciado uma série de mudanças que perduram até hoje, como a criação do Exército Brasileiro, também desencadeou pequenos conflitos internos nos país, de grupos que concordavam ou não com o acontecimento. Como sempre, nosso país sempre foi marcado pelo antagonismo político e de opinião.

Para também marcar a data, um Hino da Independência foi composto, em 1822, pelo próprio Dom Pedro I, que era um excelente músico, além de conter composição de letras por Evaristo da Veiga, poeta, jornalista e político brasileiro. No refrão do hino, diz-se: "Brava Gente Brasileira; Longe vá, temor servil; Ou ficar a Pátria Livre, ou morrer pelo Brasil". A canção contém 10 estrofes, mas suas execuções mais modernas suprimem algumas delas.

Para quem se interessar em ouvir nosso hino, segue o link abaixo.

Esse vídeo também mostra um pouco das ações atuais do exército brasileiro.


Num dia como o de hoje, devemos refletir sobre nossa cidadania e nosso papel para melhorarmos cada vez mais nosso país. Apesar da situação difícil que milhares de brasileiros vivem, apesar dos conflitos políticos e ideológicos, da inflação, do impeachement que sofremos recentemente, devemos honrar nossa pátria e procurar fazer nossa parte. Até porque temos uma parcela de responsabilidade pelas condições de vida que temos.Devemos ter um pouco de paciência e reformar a nós mesmos para que possamos reformar o Brasil e é claro, o mundo.

E para quem gosta de história assim como eu, trago um vídeo super legal de um escritor que muito admiro.
O vídeo é sobre a participação da princesa Leopoldina e do ministro José Bonifácio no processo da independência do nosso país, fato geralmente atribuído nas escolas a somente a Dom Pedro I.
Para quem se interessa pelo assunto, indico um livro biográfico desse escritor sobre a princesa Leopoldina. Eu li e recomendo. Numa narrativa bem encadeada e interessante, mostra um pouco da vida que a princesa tinha ainda na Áustria, antes de seu casamento por procuração com o principe em Viena e depois de casada, de como agiu politicamente em prol do nosso país e até como lidou com a personalidade difícil de Dom Pedro I.


Esta é a capa do livro que li do Paulo Rezzuti.



Beijinhos!


A Dama do Arminho


A Dama do Arminho, 1485, Leonardo da Vinci.

Percebam o detalhe da inclusão de um animal selvagem e feroz na pintura, sendo este um contraponto à serenidade e suavidade da moça.
Numa chave filosófica podemos inferir a capacidade humana de dominar os instintos, dando lugar ao comando da alma pura. É este o desafio que devemos enfrentar:serenidade e domínio do ego.


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Maturidade e relacionamentos.

A maturidade nos traz certos entendimentos. Um critério interessante que define o quão maduro somos é a capacidade de evitar conflitos e de se dar bens com os demais.

 Ter relações harmoniosas com os colegas de trabalho, de faculdade pode ser difícil, mas é essencial por vários motivos: para sermos aceitos no grupo, para sermos respeitados, para não termos chateações e nem passarmos por perrengues. Proporcionamos momentos agradáveis a outrem e quem ganha mais com isso somos nós mesmos. Acredito que um bom dia, um sorriso e um como vai não matam ninguém e te ajudam a ter mais amigos e colegas que te respeitem. Viver no isolamento é lamentável e ninguém gosta de gente chata. 

Aprenda a lidar com pessoas um pouco chatas, que tem brincadeirinhas bobas. Neste caso, manter um certo afastamento ajuda bastante, que fique apenas nos cumprimentos. Não é fácil, mas, como já havia dito, nós passamos por diversas situações e devemos, obrigatoriamente, aprender com elas, ganhando o que chamamos de experiência de vida.
Que possamos aprender com os erros e compartilhar nossos acertos. 

Paz e bem!


Veja uma linda imagem de Eugen Von Blaas:


terça-feira, 5 de setembro de 2017

Sobre tratos com os demais.



Burburinhos e conversa fiada não nos levam a lugar nenhum. Falar da vida alheia só traz negatividade e sensações ruins. Se tiver que falar de alguém, fale somente o bem, mas não se prolongue, para que não seja levado à maledicência.
Evite se ater a estes maus hábitos, envenenam a alma e amarguram o coração. Tenha conversas cordiais, que se somam à gentileza e consideração. Evite ironias, sarcasmos e brincadeiras de mau gosto. Todo respeito retorna para si. 

Imagem: Eugen von Blaas


segunda-feira, 4 de setembro de 2017


"Eu queria encontrar uma prática que fosse tanto física como espiritual. Yoga é perfeito para isso. Senti que nasci para fazer yoga."
 É o que Alanis Morissette, uma cantora canadense bem conhecida aqui no Brasil diz sobre suas práticas de yoga.

A cantora pratica desde seus 20 anos e usou a yoga para aquietar-se no auge do sucesso e turnês, para prepara-se para o parto e para manter o corpo e mente a saudáveis.


domingo, 3 de setembro de 2017

As estrelas brilham apenas à noite?

As estrelas não brilham somente à noite. Elas brilham o tempo inteiro! Nós é que só conseguimos enxergá-las depois que o Sol se põe. Isso porque, durante o dia, a luz solar se espalha pela atmosfera e impede que vejamos o que acontece no espaço. Também não podemos nos esquecer de que o próprio Sol é uma estrela – essa nós vemos brilhar durante o dia!