segunda-feira, 31 de julho de 2017

O amanhecer trás consigo uma nova chance. O que precedeu o anoitecer pode ter consequências no presente ou futuro, mas é irremediável. 
Nossos planos, projetos e sonhos estão em constante processo de construção e desconstrução.
Vamos renovar os votos de união com nossa alma. E que celebremos mais manhãs e que seja possível o desprendimento do ontem.



Uma visão privilegiada da cidade. Amanhecer do dia 21/07, observado da casa da minha amiga Carla. 



Manhã chuvosa, com um clima ameno e agradável.



sábado, 29 de julho de 2017

Pática- Zabelê

Hoje quero compartilhar uma música que gosto muito, de uma cantora que fez muito sucesso nos anos noventa com suas irmãs e agora retorna com um cd belíssimo. Zabelê, nome de um pássaro, filha da Baby do Brasil e de Pepeu Gomes., casal que fez muito sucesso com a banda Novos Baianos, na década de oitenta.


A letra é belíssima, espero que apreciem.

Prática

Certo, vamos praticar o bem
Conectar o corpo
Olhar o novo
Será Bom

Alinhando o sono
Quando voa o sonho
E posso caminhar ... para lá

Como for, como dá
Deixa que eu volto já
E trago uma história

Pra Dizer
De manhã pra você
Vem cantar, vem viver
Que o medo foi embora





sexta-feira, 28 de julho de 2017

Sobre experiencias e vivências...



Nenhum ser humano pode ver e entender no outro o que ele mesmo não viveu.

Herman Hesse


Cada ser humano é único em sua personalidade e percepção. Cada um vê cada experiência de acordo com suas lentes da maturidade, da sabedoria adquirida com as experiências que se passaram.
Até mesmo aquilo que nos faz mal, que nos deixa transtornados, que nos gera um desconforto nos ensina, não apenas sobre os outros, mas sobretudo sobre nós mesmos. 




Ispiração para o dia: 




quinta-feira, 27 de julho de 2017

O MEU OLHAR É NÍTIDO COMO UM GIRASSOL


O MEU OLHAR É NÍTIDO COMO UM GIRASSOL
Alberto Caieiro (heterônimo de Fernando Pessoa)

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...


Creio no Mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo…

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência é não pensar...


Agora um pouquinho para vocês da visão que eu tenho todos os dias, na universidade. 
Este é o Açude Santo Anastácio ( sim, existe um açude dentro da minha faculdade!!)
É uma belíssima visão.


Campus do Pici - Maio 2017


Campus do Pici- Maio 2017


Campus do Pici - Maio 2017



quarta-feira, 26 de julho de 2017

As meninas - Diego Velázquez

Diego Rodríguez de Silva y Velázquez nascido em Sevilha em 6 de junho de 1599. Foi um pintor espanhol e principal artista da corte do rei Filipe IV de Espanha. Era um artista do período barroco contemporâneo. Além de inúmeras interpretações de cenas de significado histórico e cultural, pintou inúmeros retratos da família real espanhola, outras notáveis figuras europeias e plebeus. 

Desde o primeiro quarto do século XIX, a obra de Velázquez foi um modelo para os pintores realistas e impressionistas, em especial Édouard Manet que chegou a afirmar que Velázquez era o "pintor dos pintores".

A grande maioria dos seus quadros estão no Museu do Prado.




Este se chama As meninas. É o que eu mais gosto.
Diego Velazquez – Las Meninas, 1656 – óleo sobre tela – 276 x 318 cm - Museo del Prado, Madrid, Spain


E deste quadro de 1656 foram feitas várias" paródias", se assim posso chamar. Outras releituras, talvez seja mais apropriado.



Pablo Picasso - The Maids of Honor (Las Meninas, after Velázquez) (Les Ménines, vue d’ensemble, d’après Velázquez) - La Californie – 17 de Agosto de 1957 – óleo sobre tela - 194 x 260 cm - Museu Picasso, Barcelona


Salvador Dali - Las Meninas (The Maids-in-Waiting), 1976-1977

segunda-feira, 24 de julho de 2017



"Sua tarefa não é buscar o Amor, mas simplesmente buscar e encontrar dentro de si mesmo todas as barreiras que você construiu contra ele."

Rumi




domingo, 23 de julho de 2017

Estampa em teu peito esse sol que brilha dentro de ti! 
Traz a claridade e calor que te pertencem e ilumina o que há ao teu redor. 
Faça com amor o que tiveres de fazer e então levarás luz ao mundo.





Céu Nublado, Campus do Pici, 2016
Que céus como estes sejam passageiros,e que possamos iluminá-los com nossa luz.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Leitura recente - O Profeta, de Kalil Gilbran.


O Profeta é um livro escrito em 1923 por Kalil Gilbran. 

Este livro narra a história de um sábio chamado Al Mustafá, que passou 10 anos morando na Ilha de Orphalese.  Durante o período que ele passou nessa ilha, ninguém parece se importar muito com o que ele tem a dizer.
 Somente quando um navio vem buscá-lo de volta à sua terra natal é que as pessoas pedem que ele ensine algo de valioso, que ele deixe algo de sábio em suas vidas.
E que sabedoria ele nos traz!  Cada capítulo fala de algum tema sobre o qual ele é questionado.
 Os temas são os mais variados: amor,  trabalho, casamento, beleza, religião, liberdade .... 
Super recomendo a leitura, me encantei quando assisti a uma palestra sobre um capítulo deste livro no canal da Nova Acrópole, no Youtube. Fica mais outra dica também, rs.





 Presente de um amigo, o compramos quando fomos à Bienal do Livro. 
Coloquei até uma capinha de plástico pra não amassar.
Já está bem marcadinho, quem nunca escreveu quase um segundo livro de anotações nas beiras?? Quem nunca? kkk



Um trechinho aqui:

Então, Almitra disse:
‘Fala-nos do amor’
E ele ergueu a fronte e olhou para multidão, e um silêncio caiu sobre todos, e com uma voz forte, disse:
'Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos como
o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa, assim
ele vos crucifica. E da mesma forma que contribui para
vosso crescimento, trabalha para vossa poda.
E da mesma forma que alcança vossa altura e acaricia
vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes e as sacode no
seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
no pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós para que
conheçais os segredos de vossos corações e, com esse
conhecimento, vos convertais no pão místico do banquete divino.
Todavia, se no vosso temor, procurardes somente a
paz do amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez
e abandonásseis a eira do amor,
Para entrar num mundo sem estações, onde rireis, mas
não todos os vossos risos, e chorareis, mas não todas as
vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio e nada recebe
senão de si próprio.
O amor não possui, nem se deixa possuir.
Pois o amor basta-se a si mesmo.
Quando um de vós ama, que não diga: 'Deus está no
meu coração’, mas que diga antes: 'Eu estou no coração de Deus.’
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor
pois o amor, se vos achar dignos, determinará ele próprio
o vosso curso.
O amor não tem outro desejo senão o de atingir
a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos, sejam
estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
que canta sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado e agradecerdes por um novo dia de amor;
De descansardes ao meio-dia e meditardes sobre o
êxtase do amor;
De voltardes para casa à noite com gratidão;
E de adormecerdes com uma prece no coração para o
bem-amado, e nos lábios uma canção de bem-aventurança.


Khalil Gibran

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Meu aniversário

Pessoaaal, ontem foi meu aniversário!! Só não escrevi aqui nada pois estava fazendo provas finais! Agora sim, posso comemorar com os resultados finais das disciplinas que fiz.

Agora mais um ano se inicia para mim, com novas conquistas e mais realizações. Agradeço pela cumplicidade, paciência, carinho e tolerância de quem está sempre ao meu lado. kkkk

E apesar de muito cansada, dei uma saidinha no shopping com as amigas. Fomos à livraria paquerar com futuras leituras e com umas roupinhas bonitas de algumas lojas, é claro.

Agora sim, um descanso mais que merecido. Obaa. Agora posso voltar ao mundo dos blogs e da internet.
 

Beijinhoss

Com cara de cansada mas vivíssima e felicíssima.



Eu e minha amiga Valesca. A Viviane estava estressada, não quis tirar foto hahahhaa


quinta-feira, 13 de julho de 2017

Phubbing...


Phubbing (verbo): É o ato de ficar olhando para o celular em vez de prestar atenção na pessoa que está ao seu lado, consequentemente esnobando-a, mesmo que sem querer. Já fizeram muuito isso comigo e vejo que cada vez isso se torna mais comum.


A permanência prolongada das pessoas no mundo virtual está criando uma geração com menores capacidades práticas na arte da empatia - contato nos olhos, escutar, compreender, reconhecer emoções.

A tecnologia veio para ficar, mas não precisamos nos tornar vítimas dela, muito menos as nossas próximas gerações. Leve essa reflexão para as conversas entre familiares e amigos! Seja apenas um usuário das novas tecnologias, não permita que te usem.



terça-feira, 11 de julho de 2017

Entendeu?


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Excalibur - dica de filme


Que tal um bom filme para assistir no fim de semana?


Você já assistiu Exalibur? É um filme bem antigo, de 1981, e ele está disponível no youtube. Com direção de John Boorman. Sobre a mesma história, há uma versão infantil da Disney, de 1964, entitulado por A espada era a Lei. Também disponível no Youtube.






Sinopse

Durante a era medieval, o rei Uther Pendragon recebe do mago Merlin a mística espada Excalibur. Uther se apaixona por Igrayne, esposa de um dos seus aliados,e é auxiliado por Merlin para possuí-la. Em troca, Merlin exige a criança, fruto desse relacionamento, seja entregue a ele quando nascer. Após varios conflitos, Uther é ferido mortalmente, e antes de falecer enterra a espada em uma pedra, deixando a Inglaterra sem um rei. Apenas quem retirar a espada da pedra poderá se tornar o novo rei. Com a Inglaterra dividida pela ausência de um rei, vários nobres disputam a posse da espada, mas apenas o jovem Arthur, filho de Uther, auxiliado por Merlin, consegue retirá-la.Entre vários feitos, Arthur unifica o Reino da Inglaterra, cria a Tavóla Redonda, unindo os mais nobres cavaleiros com um rígido código de honra e constrói a cidade de Camelot.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Não permita que seus monstros te devorem

Precisamos resolver nossos monstros secretos, nossas feridas clandestinas, nossa insanidade oculta. Não podemos nunca esquecer que os sonhos, a motivação, o desejo de ser livre nos ajudam a superar esses monstros, vencê-los e utilizá-los como servos da nossa inteligência. Não tenha medo da dor, tenha medo de não enfrentá-la, criticá-la, usá-la.

Michel Foucault




É preciso  elevar-se em meio às atribulações e considerá-las passageiras. Não alimente seus monstros, e não favoreça que eles cresçam e se desenvolvam.
Acredite que você tem algo de bom e não abandone esta virtude ou qualidade.
 E principalemnte, não permita que seus monstros te devorem.
A vida é feita de luz de sombras. De que lado você quer ficar?

                                              

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Deusa Têmis

A deusa Têmis é uma divindade grega por meio da qual a justiça é definida, no sentido moral, como o sentimento da verdade, da equidade e da humanidade, colocado acima das paixões humanas. É representada de olhos vendados e com uma balança na mão. Ela é a deusa da justiça, da lei e da ordem, protetora dos oprimidos. Na qualidade de deusa das leis eternas, era a segunda das esposas divinas de Zeus, e costumava sentar-se ao lado do seu trono para aconselhá-lo.

Dizia-se a respeito de Têmis que ela teve a ideia de provocar a Guerra de Troia para livrar a Terra do excesso de população. Era filha do Céu (Urano) e da Terra (Gaia) , portanto é filha do Espírito e da matéria. Mãe das Horas, que regiam as estações do ano, e das Moiras. Por suas virtudes e qualidades, Têmis foi respeitada por todos os deuses. Sua grande sabedoria só era comparável à de Minerva. Suas opiniões eram sempre acatadas. Mais do que a Justiça, Têmis encarna a Lei. Seu casamento com Zeus exprime como o próprio deus pode ser submetido a ela, que ao mesmo tempo é sua emanação direta. Tradicionalmente é representada cega ou com uma venda aos olhos para demonstrar sua imparcialidade.



Numa visão mais moderna, é representada sem as vendas, significando a Justiça Social, para qual o meio em que se insere o indivíduo é tido como agravante ou atenuante de suas responsabilidades. Os pratos iguais da balança de Têmis indicam que não há diferenças entre os homens quando se trata de julgar os erros e acertos. Também não há diferenças nos prêmios e castigos: todos recebem o seu quinhão de dor e alegria. Ela foi aceita entre os deuses do Olimpo. Simboliza o destino, as leis eternas, divinas e morais; é a justiça emanada dos deuses, assim nos seus julgamentos não há erro. Ela carrega as tábuas da lei, que desempenham o papel de ordem, união, vida e princípios para a sociedade e para o indivíduo, e uma balança que equilibra o mundo segundo leis universais entre o caos e a ordem.


Bibliografia:
GRIMAL, Pierre. Justiça. In: ______. Dicionário da mitologia grega e romana. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997. p. 435.
KURY, Mário da Gama. Têmis. In:______. Dicionário de mitologia grega e romana. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1999. p. 372.
Fonte: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=bibliotecaConsultaProdutoBibliotecaSimboloJustica&pagina=temis

sábado, 1 de julho de 2017

O pequeno espaço dentro do coração
é tão vasto quanto o Universo.
Os Céus e a Terra estão lá,
E o Sol e a Lua e as estrelas.
O fogo e o relâmpago e os ventos estão lá,
E tudo que agora é, e tudo que não é. 


Upanishads