quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

A história do Ceará na arte sacra

MUSEU SACRO SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

Em 27 de setembro de 1967 foi inaugurado o Museu Sacro São José de Ribamar (MSSJR) no município de Aquiraz. Criado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará foi o primeiro museu sacro instalado no território cearense, no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia, edificação erguida entre fins do século XVIII. 
  



O equipamento cultural passou a abrigar um conjunto de objetos religiosos advindos dos vários municípios e paróquias cearenses. Esse acervo é constituído por uma diversidade de imagens de santos e de anjos, objetos das procissões religiosas, parâmetros litúrgicos, missais etc., totalizando cerca de 1.400 peças, muitas de notório valor artístico e cultural, que nos remetem ao barroco colonial cearense. 
http://www.secult.ce.gov.br

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

KRIYA YOGA + DEVOÇÃO = NÃO PODE FALHAR

     Irmão Anandamoy, discípulo direto de Paramahansa Yogananda

Um dia o Mestre falou assim: "Lembre-se sempre, Kriya Yoga + Devoção = Trabalha como matemática, não pode falhar". E isto é uma verdade, é uma ciência. Aqueles que estão praticando, e que algumas vezes podem sentir que não estão obtendo muito com ela, devem continuar. Recordem isto; ela trabalha como matemática.
Mas isto é um processo gradual. No começo, e ainda por algum tempo, o devoto pode não perceber o que está acontecendo; antes do magneto tornar-se forte, nada parece estar acontecendo. ESTE É O TESTE!
É durante este período que alguns devotos podem pensar: "Afinal, não há muito valor nesta tal de Kriya Yoga, pode ser que isto não funcione realmente." E alguns desistem de praticar, deixando mesmo também o próprio caminho espiritual.
Outros retrocedem para práticas mais superficiais, mas aqueles que continuam praticando, com fé, nas palavras do Mestre, poderão finalmente descobrir que o esforço acumulado foi recompensado: O magneto espiritual interno tornou-se forte.
Em devido tempo, uma pessoa que tenha praticado Kriya, longa e devotamente, começará a avançar espiritalmente muito depressa tal qual um meteorito. Os outros podem notar nela uma sutil mudança muito atrativa. Não há nada de misterioso nisso. Este devoto simplesmente continuou praticando, ele realizou o trabalho e esse é seu resultado natural.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Baturité

Monumento ferroviário

Foto: José Lourenço de Farias
Trata-se de uma peça comemorativa ao primeiro centenário da Estação Ferroviária de Baturité. Simboliza um meio de transporte de relevante valor econômico à época, pois é a primeira locomotiva a vapor a fazer o percurso Fortaleza-Baturité no ano de 1882.
Fonte: http://www.opovo.com.br

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Fortaleza


IMAGENS RELIGIOSAS NA CIDADE

  
Fotos: Evilásio Bezerra
Nossa Senhora de Fátima
Em frente à Igreja de Fátima na avenida 13 de Maio, foi inaugurada em 2008 a estátua de Nossa Senhora de Fátima. A imagem tem 15 metros de altura e foi projetada pelo artista plástico Franciné Macário Diniz.

Santa Edwiges
Ao lado da Igreja de Santa Edwiges, está erguida a estátua da santa homônima. Ela tem 11 metros de altura e é voltada para a avenida Presidente Castelo Branco (Leste-Oeste), no bairro Moura Brasil.

Nossa Senhora de Assunção
A estátua de Nossa Senhora de Assunção, na Barra do Ceará, também foi projetada pelo artista plástico Franciné Diniz, que tem mais de 40 anos dedicados ao restauro de obras sacras e altares.

http://www.opovo.com.br



domingo, 24 de fevereiro de 2013

Não fujas nem finjas

Não fujas de querer construir o que depende de ti, pois forças contrárias poderão se levantar, interceptar e até destruir o que tiveres feito até ali. Tu não pode fingir que não queres ver o ponto onde és mais frágil. Se assim tens procedido, dás margens, amplamente, ao que poderá te perder. Isto é possível, neste exato momento, ainda reverter? Dificuldades sempre na vida haverás  de ter. Terás em qualquer situação, de administrá-las. Resolvido  algo aqui, outra coisa precisarás resolver lá. A tua paz, por nenhuma dessas coisas, pode se perder. Aliás, a paz, nas tuas moradas é a melhor parte que há de ser preservada, é o que de melhor trazem em ti.
Mas não finja não querer ver, já que tiveste condições de saber como fazer, pior seria se não soubesses e pego fosses de surpresa, em consequência que, agora, não terias  totalmente como prever. 
Toma, portanto, posição: administra-te primeiramente, com equilíbrio e toma uma firme, mas serena decisão. 
Se for para acontecer, cria as condições para que, em acontecendo venha a permanecer. Se não for para acontecer, não vale a pena alimentar. Desgastes desnecessários alimentarias, e, afinal de contas, vindo à  revelia em que isto, ainda mais, haveria de resultar? Sobre isto, convém pensar. 
Não fujas nem finjas. Há coisas com as quais, nesse momento, tu podes contar, e há coisas que, querendo com elas contar, sendo fugidias como são, não te dariam (como não darão) a oportunidade de avançar. Ao contrário, a obra que tens a realizar retardada seria, como outras  vezes ocorrera. 
E, se não tomares o  posicionamento seguro, no indevido, tudo isso se resultará.
Volto a repetir: não queiras fugir não queiras fingir. As tuas moradas são o espaço do que melhor há em ti. 
Pe. Airton Freire.  
Fonte: http://www.fundacaoterra.org.br

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O Vinho do Místico


Iram se foi co’a Rosa, e a Taça, de Jamshyd,
Dos Sete Anéis ficou onde ninguém conhece.
Mas a Vinha ainda gera antigas Uvas rúbeas
E, ainda, à beira d’Água há um Jardim que floresce.

GLOSSÁRIO – Iram: o estado da vida e da mente em que o homem se volta para o exterior, ou que é consciente dos sentidos. Rosa: prazeres temporários dos sentidos. Taça (...) dos sete anéis: o receptáculo cérebro-espinhal, com seus sete centros, semelhantes a anéis, de consciência e vida. É por esses sete plexos que a vida e a consciência da alma descem, desde o Espírito, para as limitações do corpo, e é por eles que têm de ascender, enfim, para a liberdade no Infinito[1]. Jamshyd: a principesca consciência que a alma tem do Infinito. Onde ninguém conhece: o indivíduo médio é inconsciente da existência desses centros na coluna e de seu significado espiritual. Vinha: a alma. Antigas uvas rúbeas: a bem-aventurança imemorial da alma (o fruto ou uvas “rubi” da vinha da alma). Água: sabedoria. Jardim: Auto-realização, florescente com as qualidades espirituais.
Interpretação Espiritual
           Quando, em meditação profunda, o homem retira sua consciência dos objetos exteriores, vai-se com a “rosa” dos prazeres que dizem respeito aos sentidos e aos desejos. Ainda assim, permanece a principesca consciência que a alma tem do Infinito, absorta no interior, sorvendo a divina consciência, plena de bem-aventurança, da “taça” cérebro-espinhal cujos sete “anéis” são encobertos aos olhos mortais e desconhecidos à consciência usual.
            Sem dar importância à ausência dos prazeres dos sentidos, esse homem contempla um fascinante jardim interior do Espírito, florescente com fragrantes qualidades da alma e iridiscente com as águas da sabedoria, que fluem para sempre. Da vinha da alma, ele colhe as uvas rubi da Auto-Realização, reveladoras, no seu doce paladar, de antiquíssima Bem-aventurança sempre nova.
Aplicação Prática
              Transfira a consciência da alma dos prazeres carnais dos sentidos para as internas percepções espirituais dos sete centro cérebro-espinhais, mediante a meditação profunda da ioga. Ali, a alma experimenta, de maneira intuitiva, a alegria inebriante da Auto-realização.
               No jardim externo dos sentidos, vicejam perfumadas flores de prazeres transitórios, mas, no jardim recôndito da consciência, a alma cultiva, em segredo, qualidades florescentes cuja alegria fragrante nunca esvaece. As flores terrenas abrilhantam a mente do homem por algum tempo, mas as pétalas dos prazeres da alma são eternamente inspiradoras.
                Todo o poder e toda a pompa do reino da vida do homem podem desvanecer-se e todos os receptáculos e instrumentos de prazeres principescos podem ser-lhe tomados; ainda assim, ele sempre poderá achar a felicidade vagando junto às águas curativas da sabedoria e da compreensão, no jardim da bem-aventurança da alma.
                Muitas vezes, quando as pessoas decaem do estado de abundância ao de pobreza, ou do de êxito ao de fracasso, afundam em desespero extremo, sem ver qualquer coisa a quer se agarrar. Alguma se tornam tão desalentadas que são incapazes de encontrar satisfação em qualquer coisa. O insucesso incapacita a iaginação sutil da esperança pelo êxito futuro. Entretanto, por meio da sabedoria e do discernimento, é possível ao homem aprender que a felicidade não depende de circunstâncias externas; deve encontrar-se, antes, nas alegrias mais simples da vida e, principalmente, na bem-aventurança sempre nova da meditação profunda. Embora o destino derrote todos os prazeres terrenos, o homem ainda pode ser feliz agarrando-se às alegrias da alma – simples, verdadeiras e duradouras. É pelo pensamento profundo, pela introspecção, pela inspiração espiritual e pela meditação que elas vêm.
              Por isso, não reúna, apenas, braçadas de alegrias do jardim da vida material. Aprenda, também, junto com seus entes queridos, a vaguear pelo jardim da meditação e da Auto-realização e, ali, recolha a alegria perene.




[1]   Os tratados de Ioga descrevem os sete centros espirituais como chakras (rodas) ou padmas (lótus) cujos “raios” ou “pétalas” irradiam vida e consciência para o corpo. A alma – o supremo Espírito, a vida e a consciência do homem – reside, em consciência cósmica, no mais alto desses centros, no cérebro.

À medida que a vida e a consciência da alma descem pela coluna vertebral e, por meio dos chakras, voltam-se para o exterior, no corpo físico e nos sentidos, suas percepções se tornam gradualmente mais grosseiras até que, afinal, no estado em que se é consciente dos sentidos, a alma, como ego, identifica-se por completo com a forma física que a circunscreve e com seus respectivos modos limitados de percepção e expressão.

O processo de iluminação espiritual consiste em retirar a consciência dos estados mais grosseiros de percepão e dirigi-la para os centros mais elevados, na coluna vertebral e no cérebro. O resultado é a Auto-realização ou real percepção do verdadeiro “si mesmo” como Alma, feita à imagem de Deus, com todas as Suas divinas qualidades, reinando supremamente em alegria e saber tanto sobre o reino do corpo quanto sobre o reino dos céus que está dentro de cada um.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O Vinho do Místico


POEMA XLV

Mas deixa que se batam Sábios, que prossiga
Do Universo a Querela, vem, porém, comigo
E, escondido num canto, em meio da Algazarra,
Faz Pilhéria do que outro tanto faz contigo.

GLOSSÁRIO – Deixa que se batem sábios: deixa que os intelectuais discutam sobre teorias conflitantes. Do universo a querela: os paradoxos misteriosos do universo que, às perguntas impacientes, não dão respostas. Comigo: com a alma e sua percepção intuitiva que tudo sabe. Escondido num canto, em meio da algazarra: sentado em um recanto de silêncio, em meditação, retirado, profundamente, das perturbações mundanas e da inquietude mental. Faz pilhéria: não leves a sério demais o mistério da vida, que não podes compreender; aprecia a vida como um jogo ou desporto – o lila do Senhor, como é chamado nas escrituras hindus. Do que outro tanto faz contigo: as leis inexplicáveis da vida, que parecem brincar de um modo tão descuidado com nossa existência terrena.

Interpretação Espiritual

Deixa que os sábios em teoria discutam as contradições da teologia. O universo pleno de segredos continuará fazendo seus paradoxos proliferarem misteriosamente, sem dignar-se a dar respostas às indagações intelectuais a respeito de sua conduta inexplicável. A chave para o enigma cósmico não se encontra nos raciocínios lógicos da mente, mas na intuição onisciente da alma, o verdadeiro Ser.
Sentado no silêncio interior, retirado, profundamente, da enlouquecedora algazarra do universo e da inquieta ginástica mental, medita no Infinito. Não esperes, entretanto, compreender de imediato todo o enigma universal; a intuição da alma, por muito tempo adormecida, começa por despertar gradualmente. Entrementes, não leves as tragédias da vida a sério demais. Contempla o drama cósmico como o lila do Senhor, um enorme divertimento, em que a vida e o destino parecem ter prazer em jogar contigo. A seu tempo, dominarás as regras do jogo, agora inescrutáveis, e serás vencedor.

Aplicação Prática

Não se integre à multidão de teóricos intelectuais, cada um esposando uma doutrina diferente, conflitante com as de todos os outros. Nenhum resultado será obtido, exceto a dúvida e a confusão. Para sondar os mistérios da vida, franqueie os portais do silêncio e medite profundamente. Gradualmente, você alcançará o reino da Verdade.
Trilhando, lenta e seguramente, o caminho da real percepção, segure-se à paz interna da meditação enquanto realiza todas as atividades. Não se inquiete, levando a vida a sério demais. Agitado ou calmo que seja o homem, a vida prosseguirá, permanentemente, em seu próprio e estranho curso. Preocupação, medo e desânimo só aumentam o peso da carga diária. Jovialidade, otimismo e força de vontade produzem a solução dos problemas.
Desse modo, a melhor maneira de se viver é levar a vida como um jogo cósmico, com seus inevitáveis contrastes de derrota e vitória. Divirta-se com os desafios, como faria em um jogo, independentemente de ser, no momento, vencedor ou vencido. A vida continua brincando com os seres humanos, indiferente a quaisquer condições que os mortais estabeleçam. Verdadeiramente sábios são aqueles que, por meio da Auto-realização, compreenderam, com a intuição da alma, as regras inexoráveis do jogo cósmico.

Do livro O Vinho do Místico – Título Original: Wine of the Mystic – Self-Realization Fellowship – 1998 – 1a. Edição


                   

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Leituras sem fronteiras

Já dizia o filósofo inglês Anthony Clifford Grayling: ler é como voar! É alcançar um ponto de vista amplo sobre a história e sobre as ideias. É compartilhar experiências e os frutos de muitos questionamentos. De fato, qualquer leitor que se preze não há de negar que os livros abrem horizontes e nos transportam para outros mundos. Ler é uma verdadeira aventura! Para a colunista do New York Times, Anna Quindlen, livros podem ser o avião, o trem e a estrada. Livros são o destino e a jornada. E também nossa casa, nossa morada. Talvez por isso, ler é um ato universal. A leitura feita com prazer não tem fronteiras ou local certo para ocorrer.

Índia

China

Lémen

Turquia

Afeganistão

Itália

menino lendo_post
Brasil

Mas por que o mundo todo lê? Cada um pode encontrar sua própria resposta. O ex-presidente de Harvard, Charles William Eliot, por exemplo, acredita que os livros são os amigos mais constantes na vida de alguém e também os mais sábios e acessíveis conselheiros. Já, o o poeta norte-americano James Russel Lowell, enxerga os livros como abelhas que transportam o pólen (conhecimento) de uma mente para outra. Citando o escritor C.S Lewis, diríamos que: “Nós lemos para saber que não estamos sós”!

 As citações e paráfrases acima foram retiradas do Blog de Steve McCurry. 
Fonte: http://www.estantevirtual.com.br/blogdaestante

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O que é a verdadeira amizade?



Perguntas e respostas: Amizade Espiritual – Por Paramahansa Yogananda
Da revista Inner Culture Magazine, Março de 1940


Questão: o que é a verdadeira amizade ?

Resposta:
              Amizade é uma atração espiritual universal que une almas em um vínculo de amor divino, que se manifesta a si mesmo em dois ou mais indivíduos. Quando você abre a porta para o poder magnético da amizade, uma alma ou diversas almas de vibrações semelhantes serão atraídas a você. Amizade é uma manifestação do amor de Deus para você, expressa através de seus amigos, e constituem a posse mais valiosa que um ser humano pode ter.
               Você atrai aqueles que são parecidos com você. Essa é a lei de vibração. A amizade é eterna. Se for capaz de desenvolver uma amizade através da qual Deus está desperto em você, essa é a mais elevada forma de amizade. Amizade verdadeira consiste em, juntos, buscarem o progresso da alma. Amizade nunca deve ter um objetivo material, ou um objeto a ser conquistado. Amizade é a sempre crescente consciência de igualdade e o intercâmbio de almas sem uma relação física.
                 A construção da sabedoria e entendimento espiritual e intuitivo pelo esforço mútuo pode unir duas almas pela lei do eterno e universal amor divino, cuja base incondicional é o serviço no plano espiritual e intuitivo.
                 Amizade é a mais pura entre as formas de amor. No amor dos pais pelos filhos existe compulsão; no amor dos filhos aos pais há compulsão; no amor dos amantes também existe compulsão; mas na amizade verdadeira não há compulsão. O amor pode ser encontrado na utilidade. Se você anseia pelo amor de amigos ou do mundo, você deve ser útil a eles. Por que todos amamos Jesus ? Porque Ele foi útil a nós de um modo que ninguém jamais havia sido.

Seja amigo dos inimigos
                   Você deve sempre ter uma atitude amiga, mesmo com seus inimigos, porque quando você se torna inimigo do seu inimigo você aumenta a cólera dele, tornando-o um inimigo ainda maior.  O ódio viaja através do éter. Todo aquele que tenta machucar os outros, primeiro machuca a si mesmo. Você não pode odiar os outros sem primeiro envenenar a si mesmo. Odiar alguém vai contra seus próprios interesses.
                    Lembre-se que Deus está em seu inimigo do mesmo modo que está em seu amigo. Quando for capaz de reconhecer Deus naqueles que lhe amam e naqueles que lhe odeiam, e quando você pode ver o todo-penetrante amor de Deus, então você compreenderá Sua onipresença.
              Se alguém está enviando vibrações de ódio e se você estiver sintonizado com esse ódio, você será atraído por ele. Mas se você sintoniza a estação do amor, nunca será atraído pelo ódio, não importa quantas ondas sejam enviadas.                                               Você deve cultivar o amor em seu coração, porque ele é o magnetismo que atrai almas e o punhal que aniquila o ódio.
Através do sentimento de amizade pura, você encontrará Deus.
                Se você for um amigo verdadeiro, poderá reconhecer-se com alma. Ao falhar em ser amigo, estará desprezando a lei de auto-expansão através da qual sua alma pode despertar para Deus. Sendo verdadeiro para si e um amigo verdadeiro para os outros, você conquista a amizade de Deus. Através da divina amizade aperfeiçoada e da busca mútua pela perfeição espiritual, você encontrará a unidade com o Grande Amigo.
                     A amizade é o toque da trombeta de Deus, convocando a alma a destruir os muros que a separam das outras almas e de Deus.