quinta-feira, 31 de maio de 2012

Coroação de Nossa Senhora


Para os católicos, maio é o mês dedicado à Maria Santíssima.
 As paróquias comemoram durante o mês, celebrações em homenagem a Maria, mãe de Deus. E no último dia do mês de maio é feito o encerramento com a Coroação de Nossa Senhora.
Segundo Padre Cássio Barbosa de Castro, mestre em História da Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma, a tradição é antiga na igreja. Começou no século XIII, no ano de 1280 na Europa. Chegou ao Brasil através dos portugueses e se solidificou no século XIV, em Paris.
A cerimônia da Coroação de Maria repete a tradição cristã que descreve a chegada da Virgem ao céu, quando esta foi recebida e coroada por Deus Pai, Seu Filho Jesus e o Divino Espírito Santo, junto a um sonoro cortejo de anjos.

Glória, glória a Maria. Glória na terra e nos céus! 
Fonte: http://paroquiasaojosebicas.webnode.com.br

Cidade do Ceará

Quixelô
Quixelô tem suas origens ligadas as índios Quixelô, os quais roram exemplos de bravuras de resistirem à colonização branca do século XVII e se mantiveram na região mesmo em períodos de grandes secas. Passou à categoria de cidade em 1985. Chamou-se primitivamente Bom Jesus e Bom Jesus dos Quixelôs. As primeiras manifestações de apoio eclesial têm como precedente a doação patrimonial feita por Joaquim Vitoriano de Almeida Braga (1835). A capela, dedicada ao orago do Senhor Bom Jesus logo nos primeiros anos após a doação patrimonial.
Quixelô é o nome de uma tribo que habitava a região.

Gentílico - quixeloense

Localização
Localização de Quixelô

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Cidade do Cará

Santana do Cariri
Santana do Cariri, primitivamente, chamada de Brejo Grande, foi habitada, pela tribo nativa de guerreiros denominados Buxixés.
A historia do município remonta do final do século XVII, quando os irmãos João Alves Feitosa e José Alves Cavalcante requereram e obtiveram terras as margens do Riacho Brejo Grande. Com rápido desenvolvimento do local, resultado de condições geologicamente favoráveis, erigiu-se ali uma capela sob proteção de Nossa Senhora Santana. Onde se encontra hoje a atual Matriz. Surgindo assim, o arraial que origina Santana do Cariri.
O município de Santana do Cariri foi criado em 25 de novembro de 1885, que elevou a povoação de Santana do Brejo Grande à categoria de vila. Santana do Brejo Grande também foi chamada de Santana do Araripe, Santana do Cariri, Santanópole e finalmente voltou à denominação tradicional em 22 de novembro de 1951, chamando-se Santana do Cariri.
Em 2005, o Governador do Estado do Ceará, reconhece o município de Santana do Cariri, como capital cearense de Patologia.

Gentílico - santanense-do-cariri

Localização
Localização de Santana do Cariri

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

Cidade do Ceará

Saboeiro
Suas origens remontam ao início do século XVIII, quando aí se estabeleceram os primeiros habitantes, identificados historicamente, constam como sendo Domingos Rodrigues e seu companheiro Ventura Rodrigues de Souza. A esses pioneiros concedeu o então Capitão Mor Manuel da Fonseca Jaime, três léguas de terras, compreendendo áreas encravadas entre os sítios Santa Cruz e Santo Antônio. Os registros de Sesmarias estão consignados em livro próprio e datam de 4 de junho de 1718. Três anos mais tarde o Capitão-Mor Salvador Alves da Silva, atendendo ao que lhe havia requerido Lourenço Alves Feitosa, concedeu-lhe uma légua de terras entre os sítios Camaleões e Santa Cruz em Cima (21/08/1721). Moravam igualmente na região sete irmãos portugueses, originários do Icó, constando desse grupo seis mulheres e um homem.  A esse conjunto de pioneiros juntaram-se moradores vindos de outras regiões e formou-se o Arraial de Santa Cruz do Carcará.
Elevado à categoria de município com a denominação de Saboeiro, pelo decreto nº 1591, de 23 maio de 1935.
 Origem do Topônimo: Vendedor de Sabão.

Gentílico - saboeirense

Localização
Localização de Saboeiro

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura das cidade.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Nova Russas
Comercio 03
Em virtude de curtimento de couros e peles, denominou-se de “Curtume” a fazenda que deu origem a Nova Russas. Depois de pertencer a vários proprietários, a fazenda “Curtume” passou ao domínio de Manuel de Oliveira Peixoto e sua mulher, D. Manuela Rodrigues de Oliveira, que, em 1876, fizeram doação do terreno para a construção da capela de Nossa Senhora das Graças. Em homenagem à sua terra natal, São Bernardo de Russas, o padre Joaquim Ferreira de Castro, logo um povoado foi formado.
O topônimo Nova Russas é uma alusão à cidade de São Bernado de Russas, a cidade natal do padre Joaquim Ferreira de Castro, o primeiro vigário da capela de Nossa Senhora das Graças.
Em 1933, teve em definitivo sua independência político-administrativa.

Gentílico - novarrussense

Localização
Localização de Nova Russas

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura das cidade.

Nossas origens na pedra


Johann Moritz Rugendas (1802-1858), pintor e desenhista alemão, registrou em suas obras várias cenas brasileiras e expressou a diversidade étnica presente no Brasil do início do século XIX por meio de litografias.
A litografia consiste num processo de gravura executada sobre pedra calcária. Seu princípio baseia-se na repulsão e incompatibilidade entre água e gordura. A pedra é tratada e alisada por um bom tempo. Depois, o artista desenha sobre ela com um lápis especial, à base de resíduos gordurosos, ou com um pincel e tinta à base de óleo. Em seguida, a pedra é processada quimicamente (umedecida) e aplica-se sobre ela uma tinta de impressão. A tinta, que é oleosa, vai aderir-se somente às áreas desenhadas (gordurosas); as outras partes não trabalhadas, por exemplo umedecidas, rejeitam a tinta. A imagem é prensada e reproduzida no papel. 

Veja detalhes da litografia de Rugendas.

Ficheiro:Índios em uma fazenda.jpg
A litografia de Rugendas revela a diversidade étnica da sociedade brasileira no início do século XIX.

domingo, 27 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Boa Viagem
Ficheiro:Vista parcial de Boa Viagem (Ceará).jpg
Aos 26 de junho de 1743, o capitão-mor João de Teyve Barreto de Menezes, antigo governador do Ceará Grande, concede três léguas de terra a Antônio Domingos Alvarez, situadas nas ribeiras do riacho Cavalo Morto, que deságua no famoso rio Quixeramobim. A concessão desta sesmaria está registrada devidamente no livro 14 – Datas de Sesmarias, à página 131. É, pois nesta data que principiou o povoamento dos vastos sertões de Boa Viagem, região que se prestava admiravelmente para o pastoreio e cultivo da terra.
Em 1862, por lei provincial de nº 1.025, de 18 de novembro, foi criada a freguesia com sede na povoação de Boa Viagem. Tornou-se cidade em 21 de novembro de 1864.

Gentílico -boa-viagense

Localização
Localização de Boa Viagem

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.


sábado, 26 de maio de 2012

Literatura dos sertões

Mata dos cocais, caatinga, cerrado. As paisagens vegetais do Nordeste brasileiro são diversificadas e hoje são bem diferentes das de cem anos atrás. Elas foram retratadas em obras literárias. Quer ver?

A Guerra dos Canudos, movimento político-religioso que durou de 1896 a 1897, foi retratada no livro Os Sertões, de Euclides da Cunha. Na época ele a acompanhou de perto como repórter do jornal O Estado de S. Paulo. Em sua obra, Euclides revela o conflito entre o litoral brasileiro - urbano e pré-industrial, predominantemente branco - e o Sertão mestiço, povoado pelos jagunços liderados por Antônio Conselheiro, que contestavam o regime republicano recém-instalado. Euclides conseguiu reunir um rico material para elaborar, durante cinco anos, seu grande clássico da literatura brasileira, publicado em 1902.

A obra é composta de três partes, sendo que, na primeira o escritor descreve as características geográficas em que surge o sertanejo, atendo-se à região do Vaza-Barris, no norte da Bahia, onde se passou a campanha de Canudos. Descreve a flora da caatinga da regão, as influências  o clima, a formação geológica, a hidrografia, entre outros elementos.

Além de Os Sertões, há outras obras ambientadas nas paisagens do Nordeste brasileiro, como, por exemplo, Vidas Secas, de Graciliano Ramos.

Ao retratar as paisagens, a cultura, o fatos e a vida das pessoas em diferentes épocas, muitas obras da literatura brasileira estão repletas de informações geográficas e constituem importantes fontes históricas. É a literatura nos ajudando a compreender melhor o Brasil e o mundo.

Euclides da Cunha retratado por Candido Portinari
Euclides da Cunha nasceu no estado do Rio de Janeiro em 1886 e faleceu em 1909 no mesmo estado. Foi escritor, sociólogo e engenheiro. 
Acima, Euclides retratado por Portinari.

Cidade do Ceará

Salitre
Distrito criado com a denominação de Salitre, pelo  decreto estadual nº 448, de 20 de dezembro de 1938, subordinado ao município Campos Sales. Em divisão territorial datada de 1 de julho de 1960, o distrito Salitre permanece no município de Campos Sales. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 18 de agosto de 1988. Elevado à categoria de município com a denominação de Salitre, pela lei estadual nº 11467, de 30 de junho de 1988, desmembrado de Campos Sales.

Gentílico - salitrense

Localização
Localização de Salitre

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Ibicuitinga
Localizada na Região Nordeste do Estado, precisamente na região do Baixo Jaguaribe, atingindo a zona do sertão central cearense, distante de Fortaleza cerca de 190 km. Em 1866 através de um terreno doado pelo Sr. Samuel Ferreira Nobre, e sobre os auspícios de Nossa Senhora dos Remédios, foi erguida uma capela a qual deu origem as primeiras casas do povoado principal. Segundo populares, no início do século, somavam-se apenas 12 casas feitas de tijolos e 05 cinco de barro, mais sem nenhuma estrutura urbana. Antes vinculada ao município de Morada Nova, com o nome de Areia Branca. Sua elevação  à categoria de vila, em 20 de dezembro de 1938, tendo sido instalado a 24 de outubro de 1940, ainda com o primitivo nome. Recebe o título de município, em 14 de agosto de 1963. Suprimido em 14 de dezembro de 1965, antes de sua instalação e restaurado em 11 de maio de 1988.
Na língua tupi, Ibicuitinga quer dizer areia branca. De ibicuí: areia (por yby: terra, farinha, isto é, pó da terra: a areia); e tinga: branca.

Gentílico - ibicuitinguense

Localização
Localização de Ibicuitinga

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização das cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

Herança africana

Vila Curiaú.
Quem visita a Vila de Curiaú, a 12 quilômetros de Macapá no Amapá, tem a sensação de que o tempo não passou. A história da vila começa no século XVIII, quando escravos africanos foram trazidos para construir a Fortaleza de São José (1764-1782), edificação que garantia o domínio português no extremo norte do país. Formaram pequenos núcleos familiares que originaram a vila.
Hoje a população de Curiaú, formada por descendentes dos escravos, luta para preservar as belezas naturais da região e procura manter vivas a memória e as tradições culturais de seus ancestrais. O marabaixo, por exemplo, é uma das maiores manifestações folclóricas do Amapá herdada dos escravos africanos. É uma expressão cultural pela qual a comunidade louva o Divino Espírito Santo. Seus festejos começam na quaresma e duram dois meses. 
Ao batuque de tambores chamados "caixas", os participantes dançam em círculo. A dança tem uma coreografia que imita os passos dos escravos com os pés presos por correntes. 
A gengibirra, bebida feita de gengibre ralado, cachaça e açúcar, anima a festa. O ponto alto é o encontro dos tambores, quando os grupos exibem seus mastros decorados com flores e uma bandeira do Espírito Santo. 

No marabaixo, o batuque é marcado por tambores e o canto lembra o lamento daqueles que viviam na senzala nutrindo a esperança de voltar para o continente africano.

Lago Curiaú, uma área de preservação ambiental criada em 1992 por decreto estadual. Por sua cultura popular e festas tradicionais, o Curiaú constitui uma parte do complexo cultural do Amapá.

Fonte: AURICCHIO Elizabeth, Igor Moreira. CONSTRUINDO O ESPAÇO BRASILEIRO. 3ª edição, 2ª impressão. São Paulo: Editora Ática, 2008.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Morada Nova
Morada Nova teve inicio pela instalação de duas fazendas à margem esquerda do rio Banabuiú, pertencentes aos irmãos Alferes José de Fontes Pereira de Almeida e Capitão Dionísio de Matos Fontes que aqui se instalaram, remanescentes das plagas  pernambucanas.
Os irmãos Alfares e Dionísio, solicitaram permissão para o Bispo de Pernambuco, Dom João Marquez Perdigão para a construção de uma capela. Através de uma consulta (plebiscito) aos habitantes da região, a escolha do local foi feita de forma democrática. Através de uma maioria de votos foi escolhida a Fazenda Morada Nova (casa de José de Fontes Pereira) como novo local para a construção da capela, hoje a Igreja Matriz, cujo padroeiro indicado no pedido foi o Divino Espirito Santo.
A elevação do distrito à categoria de município, com denominação de Morada Nova em 03 de novembro de 1925, tendo sido instalado em   06 de janeiro de 1926.
Morada Nova era o nome da fazenda que deu origem ao município.

Gentílico - moradanovense

Localização
Localização de Morada Nova

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

As principais cidades cearenses

As cidades têm história
Cada cidade tem suas próprias características.
Umas são grandes, populosas, têm muitos prédios e movimento intenso. Outras são pequenas, com poucas construções. Algumas são bastante arborizadas, outras não. Existem cidades com muitas industrias. Em outras o comércio é a atividade produtiva mais importante.
A paisagem urbana é, na verdade, o resultado das ações humanas. As pessoas transformam e reestruturam o espaço urbano de acordo com suas necessidades.
Portanto cada cidade tem sua história.
E qual será a origem dos centros urbanos do Ceará?


As construções coloniais estão muito presentes no centro da cidade de Fortaleza.
As cidades de Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Aquiraz, Pacatuba, Pacajus e Eusébio, fazem parte da região metropolitana de Fortaleza.
Região metropolitana é um grande centro populacional. Essa região é formada por uma cidade grande e outras vizinhas, que, juntas, constituem uma extensa e única área urbanizada.
Com a expansão de Fortaleza as cidades da região metropolitana cresceram. A capital foi dinamizando os espaços dos seus arredores.
Assim, Maracanaú e Pacajus beneficiam-se muito com a implantação de indústrias na região metropolitana. As industrias tem gerado muito empregos nessas cidades menores.
Juazeiro do Norte, Sobral, Crato, Iguatu, Itapipoca, Crateús e Quixadá são centros regionais. Isso significa que são as cidades mais importantes de suas regiões. Nessas cidades, a base da economia é o comércio.

As cidades do Vale do Cariri
As cidades mais importantes do Vale do Cariri são Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Juntas, essas cidades formam uma aglomeração urbana chamada Crajubar.
Crajubar situa-se no centro do sertão nordestino. Mas o clima nessa área não é tão quente e seco quanto o de todo o sertão. Isso ocorre devido à sua proximidade com a Chapada do Araripe.
Com clima menos quente e maior índice de chuvas, o Vale do Cariri é aproveitado para a ocupação humana.



O crescimento do município de Crato se deve à estrada de ferro que liga a cidade de Fortaleza. Com a ferrovia, construída em 1926, Crato tornou-se um importante centro comercial e cultural. E ali foram implantadas algumas lojas, principalmente para venda de tecidos, material de construção e eletrodomésticos.
Crato tornou-se um importante centro cultural, pois sedia a Universidade Regional do Cariri (URCA).
Próximo a Crato encontra-se a cidade de Juazeiro do Norte. O crescimento dessa cidade se deve principalmente à atuação do Padre Cícero. Ele foi um importante líder politico e religioso. Após sua morte, em 1934, o turismo de caráter religioso aumentou  muito. Com a visita dos romeiros a Juazeiro, o comércio na cidade também cresceu.


Juazeiro do Norte

Muitos romeiros visitam a imagem de Padre Cícero em Juazeiro do Norte.
Barbalha é uma pequena cidade que situa perto de Juazeiro e Crato. A cidade está ao sopé da Chapada do Araripe, em meio a extensos canaviais. Por isso, seu crescimento deveu-se muito ao comércio de rapadura, doce feito à base de cana-de-açúcar. Por muito tempo, esse doce foi a mais importante fonte de riqueza de sua população.

Ficheiro:Barbalha.jpg
Cidade de Barbalha.

Preparo de rapadura em barbalha.
Barbalha se destaca na área da saúde. Acidade possui um bom hospital e uma faculdade de medicina pertencente à Universidade Federal do Ceará (UFC).

Ficheiro:Faculdade de Medicina de Barbalha.JPG
Faculdade de Medicina, em Barbalha.

Centro histórico de Barbalha
Sobral

A cidade de Sobral, localizada entre o rio Acaraú e a serra da Meruoca, sempre foi um centro de destaque na chamada zona norte do Ceará.
A industria também contribuiu para o crescimento e a modernização de Sobral. Entre essas industrias, destaca-se fábricas de calçados e de cimento.
Assim como Crato, Sobral é um movimentado centro cultural. A cidade é a sede da Universidade do Vale do Acaraú (UVA) e também conta com uma faculdade de medicina da Universidade Federal do Ceará.
Seus hospitais estão entre os mais bem equipados do estado.


Centro histórico de Sobral, localizado numa área de 27 hectares, com igrejas, casarões e museus.
Outras cidades do interior cearense
 Como foi visto o aglomerado urbano de Crajubar destaca-se em todo o sul do Ceará, ao passo que Sobral lidera a zona norte.
Nas outras regiões, outras áreas urbanas funcionam como centros regionais. Esses centros atendem às necessidades da população de cidades de pequeno porte.
Iguatu, Itapipoca, Crateús e Quixadá são as cidades centrais de outras áreas do Ceará,. Cada uma lidera, em sua região, um grupo de cidades menores.


Quixadá.
Como centros regionais, essas cidades estabelecem intensas relações comerciais com pequenos núcleos urbanos. Além disso, possuem melhores hospitais e abrigam estudantes da regão que desejam fazer um curso universitário.
Iguatu, na margem do rio Jaguaribe, polariza o comércio e os serviços do centro-sul do estado.
Itapipoca é a cidade líder da área situada entre Fortaleza e Sobral.
Crateús funciona como centro regional da zona oeste e Quixadá, da zona central do estado.


Monumento dedicado ao povo sertanejo de Itapipoca, na Praça dos Três Climas.

Monumento dedicado aos pescadores de Itapipoca, na Praça dos Três Climas.
Fonte: SAMPAIO, Francisco Coelho. GEOGRAFIA DO CEARÁ. 3ª edição. São Paulo: Atual Editora, 2008.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Orós
Onde hoje se ergue a nova cidade de Orós, até bem pouco não passava de simples propriedade por onde se estendia, ainda, o domínio feudal das grandes faixas de terras destinadas à criação de agricultura rudimentar, praticada à base de enchada pelos colonos, sertanejos bravios acostumados à luta difícil dos sertões tóricos do Ceará.
Desde de 1911 que já se falava na existência do Boqueirão de Orós, garganta enorme por onde passam as águas do rio Jaguaribe, local propício para receber uma enorme barragem de represamento e aproveitamento consequente das águas armazenadas. Das investigações e estudos complementares realizados pelo Engenheiro Luís Felipe, resultou planificação de uma barragem de 60 metros de altura, com capacidade de 3.300.000 metros cúbicos de água, num lençol compacto de 380 quilômetros quadrados, extensão maior que a Baia de Guanabara. A represa do enorme reservatório atingiria a cidade do Iguatu, com o desenvolvimento de 66 quilômetros de profundidade máxima de 55 metros. O açude permitiria a irrigação de 80.000 hectares de terra.
 Em 1921, com o início dos trabalhos surgiram as primeiras construções de casas de residências, casas para trabalhadores, armazéns, galpões, hospital, prédio para usina e ereção de uma pequena igreja.
Elevado à categoria de município com a denominação de Orós, pela lei estadual nº 3338, de 15 de setembro de 1956.

Gentílico - oroense

Localização
Localização de Orós

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

Cidade do Ceará


Campos Sales
O povoamento inicial, com nome de Várzea da Vaca, tem como fato de expansão o numero de fazendas, situadas ao longo de suas dimensões geográficas, além do intercâmbio comercial mantido com o Piaui e o Pernambuco.
Crê-se que o primeiro sitio deu origem a primeira grande fazenda, pertencente a Eufrázio  Lázaro Ribeiro. Daí então o primeiro nome oficial, fazenda Várzea da Vaca. Nesta época  serviu como ponto estratégico para exercício expedicionário do capitão-mor José Pereira Filgueira, quando combatia o governo de Armas do Piauí, João José da Cunha Fidié.
Por ter seu território situado em zona de fronteiras, Campos Sales acolheu muitos líderes do movimento republicano em sua campanha contra o sistema monarca.
Em 1831, foi asilo político da heroína da Confederação do Equador, a cearense Bárbara de Alencar.
O progressivo povoamento da região resultou em grandes fazendas de criar, situadas às margens de ribeiras, reconhecidas por fertilidade e labor agrícola.
 No período de 1839 a 1858, a região conheceu significativo crescimento, atraindo um grande número de imigrantes, dentre eles alguns mascates italianos. Em 1831, por influência de italianos ali instalados, Várzea da Vaca passou a se chamar Nova Roma.
A emancipação política deu-se em julho de 1899. Em 1922, Campos Sales presenciou a Coluna Prestes e, em 20 dezembro de 1938, através da lei 530, Campos Sales, tornou-se efetivamente município.
O topônimo Campos Sales é uma alusão do quarto presidente da República Federativa do Brasil, Manoel Ferraz de Campos Sales.

Gentílico - campos-salense

Localização
Localização de Campos Sales

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Aurora

A história da origem do atual município de Aurora, remonta nos idos de 1812-1817, quando o Pe. Antônio Leite de Oliveira comprou ao Sr. Antônio Lopes de Andrade, a fazenda logradouro. Desde então, o referido padre teve sua  fixação em terras da região, e devido ao trânsito de tanta gente por essa ribeira do médio salgado, procedentes de Jaguaribe e de outras localidades propiciou o surgimento de uma povoação. Essa pequena povoação evolui e adquiriu notoriedade com a construção de um oratório, pelo Pe. Antônio Leite, configurando-se assim um povoado. Foi quando nos meados de 1837, já como proprietário da fazenda logradouro que o Coronel Francisco Xavier de Souza, resolveu edificar uma capela, a pedido de sua esposa a então descendente do Pe. Antônio, à qual denominou Capela do Menino Deus. Passa a ser município em 1893.
Segundo fontes tradicionais, o Coronel Xavier mantinha uma mulher como sua concubina, cujo o nome era Aurora. Essa mulher residia num barraco às margens do rio salgado, hoje Aurora Velha, onde servia também de ponto comercial para atender àqueles tropeiros viajantes, e ficou batizado com o nome de Venda, primeiro nome dado ao povoado. O nome de Venda perdurou por muito tempo, em face desse estabelecimento representar por muito tempo, um ponto de apoio para os transeuntes  de todos os rincões do sertão cearense. Houve, porém, a oportunidade em que o Coronel Francisco Xavier, detentor de um poder notável, quis implantar o nome Xavierlinda em substituição ao outro, mas não adquiriu expressividade, uma vez que não caiu no gosto popular. À medida que crescia o povoado, a mulher foi adquirindo significativa popularidade, e por motivos óbvios como escreveu o poeta Serra Azul, “Caiu o nome mercantil de Venda e surgiu o nome fúlgido de Aurora”.

Gentílico - aurorense

Localização
Localização de Aurora

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

domingo, 20 de maio de 2012

Cidade do Ceará

Itarema
O Município de Itarema, situado na região do Baixo Acaraú, litoral oeste do Estado a 190km de Fortaleza Itarema é um município brasileiro do estado do Ceará, com um clima tropical quente semi-árido, com chuvas concentradas de janeiro a abril. Foi agraciada pela natureza que lhe deu belezas tentadoras, como as praias de Almofala, de Torrões, da Enseada dos Patos, do Morro, do Caboré e do Guajiru. Tudo isso aliado a enseadas, lagoas inter dunares, manguezais e uma vegetação nativa. O município de Itarema, que em tupi-guarani quer dizer “Pedra Cheirosa”, tem 33 quilômetros de praias pontilhadas por verdes coqueirais, dunas, mangues, lagamares e uma riqueza de fauna e flora. As enseadas abrigam praias de larga faixa de areia, praias curtas e outras cortadas por arrecifes. E ainda tem o abraço perene dos rios com o Oceano Atlântico.

Gentílico - itaremense 

Localização
Localização de Itarema

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

sábado, 19 de maio de 2012

Cidade do Ceará


Jaguaruana
As primeiras notícias sobre a origem da formação da atual cidade de Jaguaruana datam de
1761, quando Dona Feliciana Soares da Costa, viúva de Simão de Góis, fez doação de terras para constituírem o patrimônio da capela que mandara levantar sob a invocação de Nossa Senhora Santana.
Com essa doação, além da capela, geraram-se em torno de sua liderança precedentes gregários dos quais formaria o município de Jaguaruana.
A escritura foi lavrada no Cartório de Aracati, presumindo-se todavia, que a capela tenha sido erigida três ou quatro anos antes, em virtude de, em 1760, ter-se realizado o casamento do médico José Baltazar Augery.
Primitivamente, a localidade denominava-se Caatinga do Góis, pelo fato de ter pertencido a Simão de Góis o sítio ou fazenda onde se formou o arraial e depois povoação desse nome.
O distrito de paz foi criado pela Câmara Municipal de Aracati, em 1832, não sendo, porém, efetivado. Sobrevindo a execução do Código de Processo Criminal, promulgado a 29 de novembro de 1832, aquela Câmara, em sessão de 17 de maio de 1833, manteve o distrito de Giqui, criado anteriormente, no qual ficou compreendido o território do distrito de Caatinga do Góis, implicitamente suprimido. Em 1858, entretanto, a sede do distrito de paz foi transferida de Giqui para Caatinga do Góis.
Antônio José de Freitas, estabelecido no povoado desde 1846, primeiro subdelegado do distrito policial, criado em 1862, fundou, nesse mesmo ano, uma sociedade civil denominada União, composta de 33 membros, que se propunha à luta pela emancipação da Caatinga do Góis.
Em 1863 foi instituída a freguesia de Santana, inaugurando-se em meio a grandes festividades, aos 31 de janeiro do ano seguinte.
O Município surgiu dois anos mais tarde com território desmembrado do de Aracati e com o nome de
União. Posteriormente passou a chamar-se Jaguaruana.

Gentílico - jaguaruanense 

Localização
Localização de Jaguaruana

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Cidade do Ceará


Limoeiro do Norte
A escolha do nome Limoeiro não é consenso da memória local. A história oficial diz que o título vem da existência de uma frondosa árvore que crescia ao lado da atual Igreja Matriz. Acreditando-se ter sido essa árvore plantada por índios da tribo Paiacu que viviam às margens do Rio Jaguaribe. A árvore teria dado nome a fazenda de Antônio Rodrigues, em seguida passou a Vila do Limoeiro e décadas depois, a município de Limoeiro do Norte.
O povoamento de Limoeiro do Norte teve início em 1687, com a vinda do Sargento-Mor João de Souza Vasconcelos  do sertão de São Francisco para a ribeira do Jaguaribe, onde, depois de constantes lutas com índios Paiacus, se estabeleceu no sítio São João das Vargens, que em breve se tornou arraial.
Iniciada a construção, em terras de Bonifácio José Carneiro e Joaquim da Costa Barros, adquiridas do Padre Vicente e seus irmãos, a capela foi concluída em 1845, período do início do povoado.
Algum tempo depois, essas e outras terras foram ocupadas por imigrantes provenientes dos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, formando novos redutos. Estes foram elevados a povoados, dos quais se destacaram os de Limoeiro e "Tabuleiro de Areia", que depois viria a ser a atual Tabuleiro do Norte.
 A emancipação política de Limoeiro do Norte ocorreu em  30 de agosto de 1897. Limoeiro foi uma das primeiras vilas cearenses a transformar-se em idade, após a Proclamação de República.

Gentílico - limoeirense

Localização
Localização de Limoeiro do Norte

Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Sites da prefeitura da cidade.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Cidade do Ceará


Milhã 
Suas origens são recentes, como distrito desmembrado de Solonópole e situado à margem direita do rio denominado Capitão-Mor. A povoação,  formada por pequenos agricultores, comerciantes e criadores de espécies diversas, data de início do Século XX.
Elevada à categoria de município em dezembro de 1975, e restaurado em forma da Lei nº 11.011, de 05 de fevereiro de 1985.
Origem do Topônimo: Milhã é um nome de uma gramínea existente na região.

Gentílico - milhãense

Localização
Localização de Milhã


Veja no site: http://www.ceara-turismo.com/mapas/mapa-politico.htm a localização da cidade.

FONTE: Site da prefeitura da cidade.

Como é a paz que buscamos?

Certo rei ofereceu um prêmio ao artista que pintasse o quadro que melhor representasse a paz. Muitos candidatos dirigiram-se apressadamente ao palácio para apresentar sua obra a tempo de concorrer ao prêmio real.
Após examinarem todos os quadros, os assessores do rei escolheram os dois melhores para que o soberano decidisse quem era o vencedor da contenda.
Em um dos quadros, estava representado um lago que transmitia calma e serenidade. Ao redor, montanhas floridas apresentavam o espelho perfeito de um ambiente de paz e tranquilidade. À frente, um céu brilhante com magnificas nuvens refletindo o sol dourado da manhã encantava os melhores apreciadores de arte.
No outro quadro, viam-se montanhas  com pouca vegetação, destacando-se certa aspereza exibida por rochas e pedras. Acima, apresentava-se um céu nublado, de aparência carregada, como se estivesse prestes a derramar volumosa chuva. Em uma das encostas, um fluxo de água precipitava-se em espumosa cachoeira.
O quadro não apresentava com clareza uma atmosfera de sossego, mas quando o rei olhou mais de perto, viu por trás da cachoeira um pequeno arbusto crescendo numa fenda da rocha. No arbusto, consegui o rei divisar um pássaro alimentando o filhote em seu ninho. No fim de uma grande queda, próximo à água que chegava ruidosa e estressada, o pequeno pássaro fazia grande festa, alegre com a chegada da comida.
Depois de perceber todos os detalhes, a decisão foi rápida, preferindo o rei a segunda pintura. "Paz", explicou, "não significa permanecer num lugar onde não há barulho, problemas ou trabalho duro. Demostramos a verdadeira paz quando, em meio à realidade da vida, mantemos a mete e o coração ancorados em equilibrada quietude. Este é o real significado de paz".
Self-Realization Magazine, Spring 2009

lotus flower Pictures, Images and Photos