quinta-feira, 5 de maio de 2016

Rodolfo Teofilo

No final do século XIX e começo do século XX, o Ceará conheceu um importante farmacêutico e escritor: Rodolfo Teófilo. O importante legado na literatura, na saúde pública e como político rendeu-lhe uma homenagem em forma de bairro.

“Faz uns 40 anos que passou a ser Rodolfo Teófilo”, afirma a aposentada Maria José Acário, 76. A mãe dela, dona Nazira, é que não aprovava a mudança. “Não conheço este homem. Aqui é Porangabuçu”, dizia ela inconformada. Até hoje, o antigo nome é lembrado através da lagoa, que preserva o nome Porangabuçu.

A história do bairro está muito ligada ao da sua igreja, a paróquia São Raimundo Nonato. Segundo o padre Brendan Callanan (batizado de padre Brandão pelo povo do bairro), a primeira capela foi construída nos anos 40. ”Foi feita quando eu era pequenininha”, relembra dona Maria José.

Paróquia São Raimundo Nonato

Em 1962, os padres redentoristas vindos da Irlanda chegaram ao Brasil. Alguns foram para o bairro e o local passou a ser uma paróquia. Entre os redentoristas que desembarcaram no País, estava padre Brendan, que também já trabalhou em outros estados nordestinos.

“Os redentoristas tiveram um papel importantíssimo para o crescimento deste bairro”, avalia Maria José. Eles fundaram três escolas na região: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (hoje um Centro de Formação localizado em frente a igreja), São Raimundo e Colégio dos Redentoristas (atual sede da Guarda Municipal). “Meu filho e meus sobrinhos estudaram lá (no Redentorista)”, afirma dona Maria José, o que garantiu uma formação sólida aos meninos, já que eles “eram duros na educação”.

A aposentada Rosenira de Oliveira, 61, lembra com saudades dos tempos em que trabalhou na Escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. “Trabalhei aqui por quase 20 anos. Era muito bom. Numa época dessa (final de ano), estaria muito animado”, conta. Dos quatro filhos dela, três filhas estudaram na escola.

Uma característica ressaltada pelos moradores é a preservação do hábito de sentar na calçada para conversar. “Para nós, (o Rodolfo Teófilo) está entranhado no espírito. É um bairro bom de se morar e relativamente calmo, face a outros bairros”, comenta Maria José.

Um comentário:

  1. Linda igreja e bela homenagem ao bairro e farmacêutico! Bom conhecer a história! bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!