sábado, 28 de setembro de 2013

Tradição nordestina

Missa do Vaqueiro em Canindé

Vaqueiros, cavalos, gibão, perneiras, chapéu, guarda peito, botas, luvas, esporas, chicote, coragem, fé, união e devoção a São Francisco das Chagas de Canindé, retratam a missa mais antiga do Brasil em homenagem a uma das figuras mais popular e devota do País, o vaqueiro.


  O evento religioso acontece todos os anos, no período da Festa de São Francisco das Chagas, a maior romaria franciscana das Américas. Eles  reverenciam  o santo dos pobres, dos humildes em uma procissão que percorre as ruas da cidade e depois uma missa campal celebrada no Alto do Moinho na Capela de São Pedro, bem ao lado da Estátua de São Francisco, a maior do mundo medindo 30 metros e 25 centímetros.



Vaqueiros de diversas regiões do País participam da celebração, que ressalta a religiosidade popular e as tradições do sertão.
Toda a liturgia é baseada na vida dos vaqueiros e sertanejos, que assistem à celebração montados em seus cavalos. Na hora do ofertório, os vaqueiros depositam no altar objetos do cotidiano e instrumentos usados na lida com os animais.

Todos os anos, na festa do padroeiro São Francisco, é prestada homenagem aos vaqueiros cearenses

A primeira Missa do Vaqueiro realizada em Canindé foi celebrada no dia 1º de outubro de 1970, no pátio da Basílica de São Francisco, pelo então vigário da época frei Lucas Dolle, organizado pelo poeta popular Raimundo Marreiro, do executivo Juarez Coutinho e da vaqueira (hoje Mestra da Cultura do Ceará) Dina Maria Martins.

A missa é uma forma de  homenagear  um dos santos mais populares do Nordeste e valorizar a tradição do ofício de vaqueiro.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

2 comentários:

  1. Muito lindo tudo isso, não tinha conhecimento dessa tradição!
    Aprendo muito aqui...Obrigada minhas queridas, carinhoso abraço e uma semana de muita paz!

    ResponderExcluir
  2. Leonice,
    agradecemos por gostar de nossas publicações.
    A região Nordeste tem uma cultura bem diversificada. Divulgá-la é uma forma de preservar, valorizar e mantê-la viva.
    Abraços!

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!