quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Aprendendo com as dificuldades


Doenças e dificuldades nos trazem uma lição. Nossas experiências  dolorosas não foram feitas para nos destruir, mas para incinerar nossas impurezas e nos apressar, na nossa volta ao Lar. Ninguém está mais ansioso pela nossa libertação do que Deus.

A cortina-de-fumaça da ilusão se interpõe entre Deus e nós, e Ele lamenta que O tenhamos perdido de vista. Ele não gosta de ver Seus filhos sofrerem tanto - morrendo por causa de bombas que caem, de doenças terríveis e de hábitos de vida errôneos. Deus lamenta isso tudo, pois nos ama e no quer de volta. Se pelo menos você fizesse o esforço, à noite, de meditar e estar com  Ele... Ele pensa tanto em você... Você não foi abandonado. Foi você quem abandonou seu verdadeiro Ser.

Quando você toma as experiências da vida por instrutores e aprende com elas a verdadeira natureza do mundo e o papel que você desempenha nele, essas experiências se tornam guias valiosos para chegar à satisfação e à felicidade eternas.
Em certo sentido, a infelicidade é sua melhor amiga, porque o impulsiona a buscar Deus.
Quando você começa a ver claramente a imperfeição do mundo, começa a procurar a perfeição de Deus. A verdade, é que Deus está usando o mal, não para nos destruir mas para nos desiludir de Seus brinquedos, das distrações deste mundo, de modo que possamos buscá-Lo.

O desalento não é senão a sombra que projeta a mão da Divina Mãe, quando se estende para acariciar. Não se esqueça disso. Às vezes, quando a Mãe vai acariciá-lo, Sua mão produz uma sombra, antes de tocá-lo. Desse modo, quando as dificuldades chegarem, não imagine que Ela o está punindo. Sua mão, que projeta sombra sobre você, detém uma bênção, ao estender-se até você para trazê-lo para mais perto Dela.
O sofrimento é um bom professor para os que aprendem com ele, rapidamente e de boa vontade, mas torna-se um tirano para os que resistem e se ressentem.

O sofrimento pode nos ensinar quase tudo. Suas lições nos estimulam a desenvolver  discernimento, autocontrole, desapego, moralidade e consciência espiritual transcendente. Uma dor de estômago, por exemplo, nos diz para não comermos em excesso e prestarmos atenção ao que comemos. A dor resultante da perda de riquezas ou de pessoas queridas nos lembra a natureza temporária de todas as coisas neste mundo de ilusão. As  conseqüências das ações errôneas nos impelem a exercitar o discernimento.

Por que não aprender por meio da sabedoria? Dessa maneira você não se submeteria à dolorosa disciplina - desnecessária - desse rude capataz: o sofrimento. O sofrimento é causado pelo mau uso do livre-arbítrio. Deus nos deu o poder de aceitá-Lo ou rejeitá-Lo. Ele não quer que tenhamos de enfrentar infortúnios, mas não vai interferir quando optarmos por ações que levem à infelicidade.
Yogananda
Trechos extraídos dos livros: Onde Existe Luz, A Eterna Busca do Homem e Afirmações Cientificas de Cura.
 Fonte: http://www.almasdivinas.com.br

5 comentários:

  1. Grande mestre Yogananda... Sábias palavras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Como é bom ler as belas palavras do nosso Amado Guru Paramahansa Yogananda. 3õ! Paz! Amém!

      Excluir
  2. O que espanta, verdadeiramente, é a maioria das pessoas não aprender essa lição tão clara:
    A dor, o sofrimento, as dificuldades, são apenas professores, surgem para nos ensinar.
    Todos od grandes mestres nos ensinam isto.
    Por isso que eu que eu altero o provérbio tradicional "Há males que bêm para o bem". Não é tão discriminatório, "Todo mal vem para o bem" é como se deve pensar.
    _Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo em nossa vida deve ser considerado aprendizado. Fatos tristes ou alegres servem para nosso progresso na vida espiritual, pessoal e profissional! Abraços.

      Excluir
  3. I love what you guys tend to be up too. This type of clever
    work and reporting! Keep up the superb works guys I've you guys to my blogroll.
    Here is my webpage - pisos embargados

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!