quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Das tumbas para a história

As múmias são verdadeiras máquinas do tempo, porque elas trazem para o presente um pouco da história e do passado dos povos. A mumificação pode ter sido feita intencionalmente, por algum povo, ou naturalmente, pelas condições da natureza onde os seres morreram.
              
A origem da palavra múmia é persa e significa betume, uma espécie de petróleo ou piche, que podia ser encontrado em algumas terras do Oriente próximas ao Mar Mediterrâneo, como no Egito, na Síria, nos atuais Irã e Iraque.
Múmia encontrada no Vale Sagrado de Cusco, no Peru, onde há séculos viveram os Incas

Inicialmente, apenas eram chamados de múmias os corpos conservados com betume, ou seja, as famosas múmias egípcias. Com o tempo, o termo ganhou o mundo e mesmo que o cadáver  não fosse preparado com betume, mas com outros produtos da natureza, era chamado assim.

Há múmias de todos os tipos e conservadas de diferentes maneiras: múmias congeladas nos pólos e nas montanhas altas; múmias secas nos lugares desérticos quentes ou em lugares muito frios e sem umidade; múmias conservadas no sal; múmias defumadas; múmias que se formam destro do pântanos e múmias preparadas pelos homens.
No Brasil, também existem múmias. Esta foi encontrada em Itacambira, Minas Gerais

Corpos humanos também se conservam naturalmente. No alto dos vulcões da Cordilheira do Andes , têm sido encontrados corpos de pessoas congelados há séculos. Nos desertos e nos pólos  também são frequentemente encontrados corpos antigos ou recentes, de pessoas que morrem e ficam preservadas. São aventureiros, alpinistas, guerreiros, esportistas, exploradores.
 
                                                          Cabeça de múmia egípcia

Em Minas Gerais, em terrenos ricos em certos minerais e em lugares montanhosos altos, frios e secos, podem ser encontradas múmias pré históricas e, também, do tempo histórico. Na cidade mineira de Itacambira, foram encontrados corpos conservados que haviam sido enterrados na igreja de lá há mais de 200 anos. Em outras localidades do estado, há sítios arqueológicos com corpos humanos mumificados - alguns deles podem ser visitados em museus.

No Egito, a maior parte das múmias conhecidas se formou naturalmente, porque os corpos dos mortos comuns eram enterrados nas areias muito quentes do deserto, onde se acreditava ser o local exato da "Terra dos Mortos".
Múmia encontrada  na região do Cairo
Mas os governantes e as pessoas mais ricas da época dos faraós, que podiam construir túmulos e pirâmides, também queriam que seus corpos fossem preservados. Então, começaram a imitar a natureza, desenvolvendo os processos de embalsamamento ou mumificação.
Múmia encontrada na região do Cairo

Os egípcios acreditavam que se o corpo do morto não ficasse bem preservado a sua alma poderia não viver eternamente, assim, aperfeiçoaram por muitos séculos as formas de preservação.

Um comentário:

Agradeço pelo seu comentário!