quarta-feira, 8 de março de 2017

Todo mundo pode ser agradável!

Texto brilhante de Arly Cravo, coach relacional. ( uma das pessoas que mais me influencia).

Pessoas chatas, insuportáveis, invasivas, cansativas, neurastênicas, intransigentes, inconvenientes, irritantes, prolixas, desanimadas, grudentas, arrogantes, desprezíveis, pegajosas, falsas, deprimentes, exageradas, prepotentes, “coitadinhas”, repressoras, “boazinhas”, rigorosas, exibidas, fofoqueiras, canalhas, despóticas, submissas, controladoras, interesseiras, manipuladoras, invejosas, cruéis, desagradáveis, insensíveis, etc. só são um problema quando o convívio com elas dá espaço para o exercício dessas características. 
A nossa sociedade prima pelo mau hábito de colocar as pessoas para conviver em “cativeiro”, convívio obrigatório, tipo família e trabalho. Pronto, está formado o ambiente ideal para que tais aspectos se revelem de forma a tornar o convívio de chato a insuportável, exigindo assim que as pessoas ou se submetam a este "sequestro" ou trabalhem duro rumo à própria libertação.

Nós ainda não temos transito livre. O formato social de convívio raramente permite a liberdade de ir e vir. Em geral quando permite, sai bem caro. Quem não pode pagar, a maioria não pode, tem que se submeter.

Na maioria dos “cativeiros” é possível por em prática, a saída saudável:
PROXIMIDADE DE CONVÍVIO SEGUNDO O GRAU DE AFINIDADE.

A facilidade para se fazer isso, varia de acordo com a habilidade relacional de cada um.
O passo inicial é reconhecer o lícito direito de cada um para dosar seus convívios na medida do possível. É um treino constante.

Como quase todo mundo está com a autoestima no lixo, qualquer afastamento é tido como uma ofensa e qualquer aproximação como um elogio.
PURA ILUSÃO.

É preciso não ligar muito para o que os outros falam e viver as relações focado no afeto e não na subserviência ao convívio imposto.

ISSO É LIBERDADE RELACIONAL.

Traz saúde existencial.

Não existem pessoas “inconvivíveis”. Existe sim uma “dosagem” de convívio saudável entre pessoas.

Para se chegar a essa dosagem basta viver as relações com... Foco no afeto!




6 comentários:

  1. "Foco no afeto" e, claro nos limites às individualidades!
    Ótima reflexão!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Feliz dias das mulheres Érika.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Querida Érika
    Mulher, símbolo de sensibilidade. És a glória do homem, fonte terna de amizade, pérola de inestimável valor. Âncora fértil da imaginação, manancial profundo de amor. Alma misteriosa, tens inexplicável poder. Poder de conciliar trabalho, emoção, lar. Mestra na arte de amar, és uma guerreira em potencial. Parabéns amiga pelo teu dia.
    Beijos e o meu afetuoso abraço

    ResponderExcluir
  4. Uma sociedade que se quiser pode conviver em harmonia!!! Bj

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!