domingo, 5 de fevereiro de 2017

Você jamais encontrará felicidade enquanto for controlado pelo destino. Por “destino” não quero dizer “sina”. Não existe uma coisa chamada “sina”. O destino engloba as já esquecidas causas do passado que criam efeitos atuais em sua vida. Você pode dizer: “Eu estava destinado a ser guloso”. Mas isso não é verdade. No primeiro dia em que se alimentou você não era guloso; você é que criou esse hábito. O bêbado não era bêbado na primeira vez em que provou álcool. Quando você repete ações sem discernimento, descobre que elas começam a usurpar pensamentos e vontade, fazendo o corpo obedecer a seus ditames. Daí você diz que é sua sina ser pusilânime ou fracassado. A corrente que o aprisiona foi forjada por você mesmo, elo por elo. Você não tem nenhum destino a não ser o que você próprio planejou. Você mesmo criou a predestinação de ser bom ou mau quando, no passado, repetiu certas ações benéficas ou prejudiciais.


Paramahansa Yogananda, O Romance com Deus



6 comentários:

  1. Que lindo, isso mesmo, não há destinos no sentido de "sina", predestinado, nós mesmos nos conduzimos por caminhos escolhidos, o preço, ah, esse se tem de pagar!
    Bom post, amei!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  2. Um pensmento livre de ilusões de Paramahansa Yogananda. Eu aprecio muito, pois não há o dedo da religião, com seus dogmas, que mais aprisiona, do que liberta.
    Um beijo querida Érika e um ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Mexeu na ferida!!! Muitas pessoas preferem se esconder atrás da sina, do destino e outros mais para não sair da zona de conforto. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Texto pra uma boa reflexão.
    Gostei bastante.
    Boa semana!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Não poderia concordar mais!
    Embora por vezes, as circunstâncias condicionem comportamentos... mas tomá-los ou não, será sempre do livre arbítrio de cada um...
    Adorei o post! Bjs
    Ana

    ResponderExcluir
  6. Belo texto, Érika e concordo, não há destino, mas sim escolhas e consequências.
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!