terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Via Láctea- Olavo Bilac


Via Láctea


"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo 
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...

E conversamos toda a noite, enquanto
A Via Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e entender estrelas"











5 comentários:

  1. Retorno e encontro aqui uma das jóias mais puras do Grande poeta Olavo Bilac.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  2. Sensacional momento cultural! Obrigada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!
    Sensacional poema !
    Olavo Bilac tornou-se eterno por ser um poeta tão atual em todas as épocas sem perder o romantismo e a emoção tocante!
    Parabéns pela grande escolha!

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso momento poético, em plena sintonia com a imagem!
    Adorei! Uma lindíssima partilha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Versos maravilhosos, não esquecendo da imagem, que é fantástica!

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!