segunda-feira, 8 de agosto de 2016

"Com tantas riquezas por que me sentir pobre? 
e os meus versos e a minha alma, e os meus sonhos,
 e os montes, e as rosas, 
e a canção dos sapos nas ervas úmidas, 
e a minha charneca alentejada, 
e os olivais vestidos de 
Gata Borralheira,
 e o assombro dos crepúsculos, e o
 murmúrio das noites... 
então isso não é nada?"

Florbela Espanca




E você, querido leitor, quais suas riquezas? 

2 comentários:

  1. Oi, meninas, como estão?
    Florbela é incrível! Viveu num tempo em que não se encaixava. Era dramática e colocava tudo isso no papel. Ousada, sofredora... Única!
    Adoro!
    Beijos

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!