domingo, 5 de janeiro de 2014

Juazeiro do Norte

 A cidade emana fé e devoção, mas oferece muito mais

Como simbolizar Juazeiro do Norte, se a fé é apenas crer e não carece de qualquer tipo de argumento? Então, simplesmente vivencie e se deixe envolver pelo lugar. Mesmo em crescimento a cada dia, a cidade exerce essa atração, que faz a gente se sentir leve, envolto numa invisível aura de bem-estar. Do alto da Colina do Horto, o Padre Cícero observa tudo e conduz nossos passos pelos caminhos que percorreu num passado distante.


Todos os anos, Juazeiro do Norte recebe cerca de 2,5 milhões de romeiros atraídos pela fé no Padre Cícero. Sua imagem está no Horto e em cada construção pela cidade, como convém ao seu protetor e mentor. O sacerdote amado pelos nordestinos parece convidar cada visitante, mesmo os incrédulos, a percorrer o roteiro da fé.

Basílica Nossa Senhora das Dores

Comece o passeio pela Basílica Nossa Senhora das Dores, construída em 1875 pelo Padre Cícero. No altar-mor está uma imagem da Mãe de Deus esculpida em Paris e trazida pelo sacerdote em viagem que fez à Europa. Foi no templo onde ocorreu o milagre da transformação da hóstia em sangue na boca da beata Maria de Araújo.

Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro data de 1909. Conhecida como Capela do Socorro, guarda no seu altar-mor os restos mortais do Padre Cícero. É um dos lugares considerados sagrados em Juazeiro do Norte. O túmulo é um dos mais visitados do mundo.


Memorial Padre Cícero

Próximo do templo fica o Memorial Padre Cícero, que abriga museu com objetos de uso pessoal do sacerdote, como vestimentas e louças. Fotografias e obras de arte da época completam o acervo. O espaço também conta com biblioteca com obras sobre o padre e um auditório com capacidade para 400 pessoas. Nas proximidades proliferam lojas de artigos religiosos e de artesanato.

 Santuário de São Francisco, também chamado de Igreja dos Franciscanos

Outro ponto de visitação é o Santuário de São Francisco, também chamado de Igreja dos Franciscanos, erguida em 1950 em estilo lombardo-saxônico e na forma de cruz latina. A imagem de São Francisco no altar-mor foi esculpida em Gênova, na Itália. O templo majestoso é circundado pela Praça das Almas, com painéis da via-sacra e passarelas suspensas que remetem à Praça de São Pedro, no Vaticano.

Mas, o principal ponto de visitação em Juazeiro do Norte é a estátua do Padre Cícero. Erguida na Colina do Horto e inaugurada em 1969, tem 27 metros de altura e se constitui na terceira maior do mundo em concreto. A obra é do escultor Armando Lacerda, que optou por construí-la no local escolhido pelo sacerdote para retiros espirituais. Próximo fica o Museu Vivo, com imagens em tamanho natural do Padre Cícero. Pouco além está sendo construída a Igreja de Bom Jesus do Horto. O Horto também abriga dezenas de quiosques que comercializam artesanato, confecções e alimentos.

Santuário do Sagrado Coração de Jesus


Luzeiro do Nordeste

De volta à área central da cidade, visite o Santuário do Sagrado Coração de Jesus, o Museu do Padre Cícero, o Teatro Municipal Marquise Branca e o Luzeiro do Nordeste, uma torre de 113 metros de altura e 256 toneladas de aço. Concebida pelo arquiteto Luiz Deusdará, foi batizada de Luzeiro da Fé.

Compras no comércio. Há artigos para todos os gostos

O passeio pela principal cidade do Cariri se estende às compras no movimentado comércio local, sobretudo de artesanato e calçados. Juazeiro transformou-se num movimentado polo de negócios. A Rua Padre Cícero e entorno fervilham em qualquer época do ano e mais ainda em períodos festivos e datas de romarias. Há artigos para todos os gostos e bolsos.

A literatura de cordel fortifica a xilogravura.

Padre Cícero era grande incentivador do artesanato. O incentivo deu resultado. Hoje, o artesanato tem forte participação na economia do lugar, que se tornou celeiro de artistas. Criatividade e habilidade se unem e fazem surgir peças em madeira, gesso, palha, barro, couro, ferro. A literatura de cordel fortifica a xilogravura.

Poeta popular, Pedro Bandeira de Caldas.

A inspiração para a beleza artística vem dos imortais personagens da cultura local e regional, como Padre Cícero, Lampião, o sertanejo, o romeiro de fé. Vem também das tradições, expressões, religiosas, cantorias e danças típicas, sempre com doses de irreverência, clamor e desabafo, como nas apresentações de repentistas, com desafios de rimas.


Centro de Cultura Mestre Noza

Associação dos Artesãos da Mãe das Dores 

Mercado Central

Não deixe de conhecer o Centro de Cultura Mestre Noza, a Associação dos Artesãos da Mãe das Dores e o Mercado Central. 
Juazeiro do Norte cresce com trabalho e ao ritmo das orações ao Padim Ciço, o embrião do desenvolvimento do lugar e do Cariri como um todo. A cidade melhora para os nativos e atrai mais gente guiada não apenas pela fé.
A arte repassada de geração em geração está sempre em evidência. A cultura popular é um verdadeiro caldeirão, onde a pitada final é o encanto dos visitantes.

Fonte: Diário do Nordeste.

Um comentário:

  1. Muito bom ler e conhecer essa região! Parabéns pelas narrativas e fotos!
    Abraços.

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!