quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O Vinho do Místico


POEMA XLV

Mas deixa que se batam Sábios, que prossiga
Do Universo a Querela, vem, porém, comigo
E, escondido num canto, em meio da Algazarra,
Faz Pilhéria do que outro tanto faz contigo.

GLOSSÁRIO – Deixa que se batem sábios: deixa que os intelectuais discutam sobre teorias conflitantes. Do universo a querela: os paradoxos misteriosos do universo que, às perguntas impacientes, não dão respostas. Comigo: com a alma e sua percepção intuitiva que tudo sabe. Escondido num canto, em meio da algazarra: sentado em um recanto de silêncio, em meditação, retirado, profundamente, das perturbações mundanas e da inquietude mental. Faz pilhéria: não leves a sério demais o mistério da vida, que não podes compreender; aprecia a vida como um jogo ou desporto – o lila do Senhor, como é chamado nas escrituras hindus. Do que outro tanto faz contigo: as leis inexplicáveis da vida, que parecem brincar de um modo tão descuidado com nossa existência terrena.

Interpretação Espiritual

Deixa que os sábios em teoria discutam as contradições da teologia. O universo pleno de segredos continuará fazendo seus paradoxos proliferarem misteriosamente, sem dignar-se a dar respostas às indagações intelectuais a respeito de sua conduta inexplicável. A chave para o enigma cósmico não se encontra nos raciocínios lógicos da mente, mas na intuição onisciente da alma, o verdadeiro Ser.
Sentado no silêncio interior, retirado, profundamente, da enlouquecedora algazarra do universo e da inquieta ginástica mental, medita no Infinito. Não esperes, entretanto, compreender de imediato todo o enigma universal; a intuição da alma, por muito tempo adormecida, começa por despertar gradualmente. Entrementes, não leves as tragédias da vida a sério demais. Contempla o drama cósmico como o lila do Senhor, um enorme divertimento, em que a vida e o destino parecem ter prazer em jogar contigo. A seu tempo, dominarás as regras do jogo, agora inescrutáveis, e serás vencedor.

Aplicação Prática

Não se integre à multidão de teóricos intelectuais, cada um esposando uma doutrina diferente, conflitante com as de todos os outros. Nenhum resultado será obtido, exceto a dúvida e a confusão. Para sondar os mistérios da vida, franqueie os portais do silêncio e medite profundamente. Gradualmente, você alcançará o reino da Verdade.
Trilhando, lenta e seguramente, o caminho da real percepção, segure-se à paz interna da meditação enquanto realiza todas as atividades. Não se inquiete, levando a vida a sério demais. Agitado ou calmo que seja o homem, a vida prosseguirá, permanentemente, em seu próprio e estranho curso. Preocupação, medo e desânimo só aumentam o peso da carga diária. Jovialidade, otimismo e força de vontade produzem a solução dos problemas.
Desse modo, a melhor maneira de se viver é levar a vida como um jogo cósmico, com seus inevitáveis contrastes de derrota e vitória. Divirta-se com os desafios, como faria em um jogo, independentemente de ser, no momento, vencedor ou vencido. A vida continua brincando com os seres humanos, indiferente a quaisquer condições que os mortais estabeleçam. Verdadeiramente sábios são aqueles que, por meio da Auto-realização, compreenderam, com a intuição da alma, as regras inexoráveis do jogo cósmico.

Do livro O Vinho do Místico – Título Original: Wine of the Mystic – Self-Realization Fellowship – 1998 – 1a. Edição


                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!