terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O café no Ceará

Antes de chegar  à atual região Sudeste, onde se tornou o principal produto da economia brasileira, o café já era plantado em algumas áreas do Norte e do Nordeste, inclusive no Ceará. Mas essas pequenas lavouras eram destinadas ao consumo familiar e não ao comércio.

[Baia+de+Guanabara+by+Rugendas.jpg]
 Colheita do café, (1834-1839) de Johann Moritz Rugendas.
 O desenho representa a colheita de café nas encostas da serra da Carioca. Ao fundo, a lagoa Rodrigo de Freitas e o Pão de açúcar.
O café é uma planta originária do norte da África. As primeiras mudas chegaram ao Brasil no século XVIII, em Belém do Pará, trazidas das Guianas. A partir de meados do século XIX, o café passou a ser plantado em áreas maiores e, por várias décadas, tornou-se a principal riqueza brasileira.
Nessa época se formaram as primeiras fazendas de café nas serras cearenses.
As serras de Baturité e Aratanha, bastante próximas de Fortaleza, foram as que mais atraíram os fazendeiros. Mas também surgiram cafezais em outras terras altas do Ceará, como na chapada de Ibiapaba, onde o clima e o solo eram propícios ao cultivo do grão. O volume do produto não era tão grande quanto o obtido nas lavouras de São Paulo e do Rio de Janeiro, mas foi suficiente para promover o desenvolvimento de várias cidades. O café cearense era transportado para os portos mais próximos, em especial o de Fortaleza, de lá seguia para a Europa e os Estados Unidos. Essa época de prosperidade econômica deixou suas marcas, como podemos ver nas imagens a seguir.

- Casarão da família Pereira, em Aratuba -


- Sítio são Luiz, em Pacoti -
As primeiras fazendas de café eram rústicas e simples, mas à medida que as vendas do produto cresceram, isso se refletiu nas propriedades. Casas amplas e confortáveis  às vezes até mesmo luxuosas, foram construídas para as famílias dos fazendeiros.
Muitos fazendeiros faziam doações em dinheiro para a construção de capelas em homenagem ao santo de sua devoção ou investiam na melhoria das precárias estradas da época.
Ao lado das capelas, pessoas que prestavam serviços aos fazendeiros começaram a construir suas casas. Assim se formaram novos povoados, e muitas vilas antigas se desenvolveram em torno das fazendas.

Atualmente ainda se planta café na serra de Baturité. São cerca de 3 500 hectares de área plantada, que abrange quatro municípios: Baturité, Guaramiranga, Pacoti e Mulungu.

9 comentários:

  1. Que bom, o problema com os comentários foi resolvido.
    Não conhecia a história do café no Ceará, interessante saber como as vilas e povoados se formaram. Beijocas, amigas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amiga... O café foi um dos produtos agrícolas mais importantes da história do Brasil. No Ceará também teve sua importância: além de darem origem a povoados, vilas e cidades, as lavouras de café garantiram o enriquecimento e a sobrevivência de muitas famílias cearenses.
      Abraços!

      Excluir
  2. Importante conhecer a história do café no Ceará. Valeu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, é importante saber sobre a história da nossa terra! Aliás, você é cearense?

      Excluir
  3. Que bom! Finalmente parece que vou consegui deixar um comentário. Fui há pouco para a postagem sobre os Reis Magos e consegui comentar. Antes, não estava conseguindo aqui.

    Que boa postagem. Minha família tem história em Baturité, com o café. Quando menina ia muito à esta serra maravilhosa. Minha mãe tinha ainda umas primas, cujos pais tinham plantações de cafés.

    Quero, em tempo, desejar um feliz 2013.

    Fortes abraços, para as duas maninhas,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um 2013 repleto de bênçãos para você e sua família!
      Você gostaria que publicássemos sobre a história da sua família? Estaríamos enriquecendo nossa humilde page! Podemos trocar e-mails se assim desejar!

      Excluir
  4. Lúcia Paiva no blog.... Poderooosas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderosa é quem a nós escreve!:) E venha sempre ao nosso blog!

      Excluir

Agradeço pelo seu comentário!