quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Brasil

Parques Nacionais da Região Sudeste
Os parques da região Sudeste apresentam enorme variedade de paisagens exuberantes, desde remanescentes da mata Atlântica até grandes extensões de cerrados. Conheça algumas dessas paisagens.

A paisagem do PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS é marcada por íngremes paredões, como o Dedo de Deus (foto acima). A área é um reduto de fauna diversificada de aves, répteis e mamíferos.


O PARQUE NACIONAL GRANDE SERTÃO VEREDAS ganhou esse nome em homenagem ao livro do escritor João Guimarães Rosa. A fauna e a flora são típicas do cerrado há também belas cachoeiras como a da foto.

Imagem
O PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CANASTRA está na região do cerrado mineiro, mas apresenta uma vegetação bem mais variada: há mais de 6 mil espécies vegetais, como essa flor sempre viva. A fauna também é riquíssima: mais de oitocentas espécies de aves e cerca de duzentas especies de mamíferos habitam a região.

Ficheiro:Aiolopus thalassinus.jpg
O PARQUE NACIONAL DA SERRA DA BOCAINA é uma das maiores áreas protegidas da mata AtlânticaLocaliza-se em trecho da Serra do Mar, na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Apresenta característica peculiar: estende-se do alto da serra, a mais de 2 mil metros de altitude, até o litoral do Atlântico. A fauna é riquíssima, entre aves (harpias, gaviões, jacutingas, macucos, tucanos), mamíferos (antas, veados, cutias, macacos, preguiças e até onças) e insetos, como esse gafanhoto.


Conheça o Instituto Terra, uma organização civil, sem fins lucrativos, fundada em 1999 por Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Ribeiro Salgado Junior. O Instituto está sediado na fazenda Bulcão, no município de Aimorés, em Minas Gerais. É lá que funciona a primeira Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) em uma área degradada. O Instituto desenvolve projetos para: recuperar as florestas do bioma mata Atlântica; atuar na educação ambiental por meio de cursos e outras estratégias; promover pesquisas e difundir tecnologia para a recuperação florestal. 
Saiba mais: http://www.institutoterra.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!