segunda-feira, 28 de maio de 2012

Nossas origens na pedra


Johann Moritz Rugendas (1802-1858), pintor e desenhista alemão, registrou em suas obras várias cenas brasileiras e expressou a diversidade étnica presente no Brasil do início do século XIX por meio de litografias.
A litografia consiste num processo de gravura executada sobre pedra calcária. Seu princípio baseia-se na repulsão e incompatibilidade entre água e gordura. A pedra é tratada e alisada por um bom tempo. Depois, o artista desenha sobre ela com um lápis especial, à base de resíduos gordurosos, ou com um pincel e tinta à base de óleo. Em seguida, a pedra é processada quimicamente (umedecida) e aplica-se sobre ela uma tinta de impressão. A tinta, que é oleosa, vai aderir-se somente às áreas desenhadas (gordurosas); as outras partes não trabalhadas, por exemplo umedecidas, rejeitam a tinta. A imagem é prensada e reproduzida no papel. 

Veja detalhes da litografia de Rugendas.

Ficheiro:Índios em uma fazenda.jpg
A litografia de Rugendas revela a diversidade étnica da sociedade brasileira no início do século XIX.

3 comentários:

  1. Alberto Santos--Alberto latoeiro28 de maio de 2012 15:49

    Olá,com vão? estive a visitar o vosso blogue e achei interessante um tema que está nele por ser algo que quando era pequeno tinha mêdo
    O Labisome , só que nós aqui diziamos ser ,ou melhor, aparecer na forma de Burro.
    Um Abraço ,Alberto

    ResponderExcluir
  2. Sr. Alberto, estamos bem! Gostamos da sua presença no blog. A lenda do lobisomem existe em muitas versões, variando de acordo com a região e país. Dizem que existem regiões aqui no Brasil, que de fato creem na existência do monstro.
    Um grande abraço, Érika e Bárbara!

    ResponderExcluir
  3. Meninas, vocês são D+!!!

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário!