segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Em Fortaleza, casa antiga vira ponto de encontro

A partir do imóvel, que fica nas margens da lagoa, nasceu a vila Manoel Sátiro. A casa foi sede do sítio que deu origem ao bairro Manoel Sátiro. Hoje, o local é ponto de diversão, com disputas de campeonato de futebol.

Campo em frente à casa é a diversão da comunidade do entorno. A arborização do lugar também favorece à convivência (FOTO: ANDRÉ SALGADO/ ESPECIAL PARA O POVO)

Domingo é dia de diversão nas margens da lagoa do Mondubim. Várias pessoas se reúnem para jogar futebol, passear ou pescar, nesse que é um dos poucos espaços de lazer da região. Os jogos da liga Manoel Sátiro não param de acontecer em quatros campos de futebol durante as manhãs do fim de semana.

A diversão gira em torno de uma casa com aparência antiga, de portas altas e verdes. Na frente, ficam os campos do futebol. Ao fundo, a lagoa. E, ao redor, muitas árvores. A casa apresenta sinais de deterioração nas paredes, pintura e pátio externo.

A antiga proprietária é conhecida por boa parte das pessoas, mas por diferentes nomes: dona Euzinha, Neuzinha, Neuzita e Neuzina. Quem tira a dúvida é a vizinha Gorete Macêdo, 57: “é a dona Noelzinda Sátiro, esposa de Felipe Santiago”. Gorete conviveu com dona Noelzinda por 22 anos e morou ela na antiga casa, que era a sede do sítio da família Sátiro.

Segundo Gorete, o pai de dona Noelzinda era Manoel Sátiro, que negociava terrenos pela Cidade. E Gorete narra a história tantas vezes contada por Noelzinda Sátiro. Certo dia, ela e o pai passavam de trem perto da lagoa e avistaram a casa. Ela gostou e pediu para que o pai comprasse o imóvel, onde passou a morar em 1949. “Nessa época, a casa já tinha mais de 100 anos. Era muito bonita. Tinha até alpendre”, relembra.

Do sítio, foi surgindo a vila Manoel Sátiro - hoje bairro. “A família vendeu, mas também doou muito terreno, como o da igreja São Judas Tadeu e o da escola. O terreno da minha casa foi ela também que deu”, conta Gorete. Ela afirma que o lugar era só animação nas festas de fim de ano e férias.

Os atuais moradores do imóvel são o casal Wedson Soares, 49, e Maria Luiza da Silva, 43. “A dona Noelzinda me pegou nos braços quando eu era pequena. Era uma pessoa muito boa e caridosa”, lembra Maria Luiza. Eles vivem na casa há quatro anos e são os responsáveis por cuidar do Floresta Esporte Clube, um time de várzea criado em 1954, que fica ao lado da casa e possui até estádio.

Sobre a moradia, Maria e Wedson dizem que é um ótimo lugar para viver. “Aqui tem cheirinho de Interior. De manhãzinha ou a noite, é um ventinho bom. Tem o canto dos passarinhos e as garças passam por aqui. O pessoal solta as vacas. Quando está chovendo, eu quero que você veja a lagoa... o nevoeiro parece gelo”, diz Maria Luiza. Por fim, ela cita a característica mais difícil de encontrar na cidade grande: o ar puro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!