sábado, 21 de maio de 2011

Vinhetas

1. Caro leitor. Não se prenda ao passado. Muita gente é assim, não quer assumir as consequências da última faixa etária. Os dias vão mutilando o tamanho da vida, em marcha inarredável na estrada do mundo menor. Não adianta olhar para trás porque às vezes pisamos em pedregulhos, e os pés sangram. A sabedoria reside em obstar o domínio do tempo sobre o psicossomático. A velhice virá fatalmente, mas deve acompanhar-nos sem atropelo. Com ela devemos pactuar bom relacionamento. Antes, sejamos cuidosos contra o excesso, as preocupações, o vício. Pensar somente na tarefa de cada dia, como aconselha o Evangelho, e deixar tudo fluindo nas mãos de Deus. Então, a derradeira fase etária será mais calma, sem apreensões. Quem obedece às regras de natureza e age prudentemente; é dadivoso e não fere os direitos alheios; ama sem interesse subalterno; fornece toda a disponibilidade ao irmão; e reparte o excedente com os desfavorecidos da sorte, jamais sofrerá os queixumes da consciência nem a censura da comunidade. Olhará as coisas boas da vida para colher-lhes os frutos opimos. É permitido recordar os idos da infância e da juventude, não porém nelas fixar-se obstinadamente, pois há muito trabalho para a missão de fazer o bem, amar a todos.

Nota - Vinhetas não usam "que". Nelas aparecem somente em trabalho cuja transcrição fazemos. 


Publicado em: 09 de março de 1985.
Jornal O POVO                                                      Itamar Espíndola

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!