sábado, 23 de abril de 2011

Vinhetas

1. TRADUÇÃO do original inglês, pelo mestre Luiz G. de Miranda Leão, da UEC, transcrevemos o manuscrito encontrado na Igreja de São Paulo, Baltimore, mil seiscentos e noventa e dois. Como excelente quêfobo, o tradutor elidiu do texto o afeante morfemático “que”:

         “DESIDERATA. Caminhe placidamente em meio ao barulho e à pressa, e lembre-se da paz existente no silêncio. Tanto quanto possível, sem submeter-se, tente estar em bons termos com todos. Fale sua verdade tranquila e claramente ouça os outros, mesmo os obtusos, os ignorantes; eles também têm sua história.
         Evite as pessoas barulhentas e agressivas; elas são vexames para o espírito. Se você comparar-se com os outros, pode tornar-se vaidoso e amargo, pois sempre haverá pessoas maiores e menores em relação você. Tenha prazer em suas realizações, bem como em seus projetos.
         Mantenha-se interessado na sua profissão, por mais humilde que seja; trata-se de um verdadeiro bem nas variações da fortuna. Seja prudente em seus negócios, pois o mundo está cheio de engodos. Mas não deixe isso cegá-lo quanto às virtudes ainda existentes; muita gente luta por ideais elevados e em toda parte a vida está plena de heroísmos. 
         Seja você mesmo. Especialmente, não finja afeição nem seja cínico em relação ao amor, porquanto apesar de toda aridez e desencanto o amor é perene como a grama.
         Aceite de bom grado o conselho dos anos, renunciando esportivamente às coisas da juventude. Alimente a força do espírito para protegê-lo diante do súbito infortúnio. Mas não se aflija com os produtos da imaginação. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão. Além de uma disciplina saudável, seja generoso com você próprio.
         Você é uma criança do universo, tanto quanto as árvores e as estrelas; você tem direito de estar aqui. E que isso lhe fique claro ou não, sem dúvida o universo se está revelando, como seria de se esperar.
         Portanto, esteja em paz com Deus, seja qual for sua forma de concebê-lo. Sejam quais forem os seus labores e inspirações, no barulho confuso da vida, esteja em paz com seu íntimo. Com toda essa falsidade, trabalho estafante e sonhos despedaçados, o mundo ainda é belo. Tenha cuidado e esforce-se para ser feliz.”
              .
 Publicado em: 18 de fevereiro de 1989    
Jornal O POVO                                               Itamar Espíndola                                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!