sexta-feira, 25 de março de 2011

Metáfora ambiental

James Lovelok é um cientista que sugeriu que a nossa Terra é um organismo vivo, como a vaca da parábola.

Sobre vacas, bernes e política

Era uma vez uma vaca feliz, saudável e bonita. Mas nem tudo é perfeito. A vaca tinha hóspedes. Alguns bernes se hospedaram nela e alimentavam-se da sua carne. Mas os bernes eram poucos e pequenos. A vaca e bernes viviam em paz. Aconteceu, entretanto, que os bernes começaram a se multiplicar. Os bernes aumentavan, mas a vaca não aumentava, confirmado a lei de Malthus, que disse que "os alimentos crescem em razão aritmética, enquanto as bocas crescem em razão geométrica."

O corpo da vaca se encheu de calombos, que indicavam a presença dos bernes. Mesmo assim, a vaca continuava saudável. Ela tinha muita carne de sobra. Foi então que uma coisa inesperada aconteceu: alguns bernes sofreram uma mutação genética e passaram a crescer em tamanho... foram crescendo, ficando cada vez maiores, e com uma voracidade também cada vez maior. Os vermes magrelos ficaram com inveja dos vermes grandes e trataram de tomar providências para crescerem também.

O corpo da pobre vaca passou a ser uma orgia de crescimento. Os bernes só falavam numa coisa: "É preciso crescer!". Mas a vaca não crescia, ficava do mesmo tamanho. De tanto ser comida pelos bernes, a vaca ficou doente. Emagreceu. Mas os bernes nada sabiam sobre a vaca em que moravam. Para perceberem, seria preciso que eles estivessem do lado de fora.

Os bernes estavam dentro da vaca. Assim, não percebiam que sua voracidade estava matando-a. A vaca morreu!...E, com ela, morreram os bernes...! Fizeram autópsia da vaca. O relatório do legista observou que os bernes mortos eram excepcionalmente grandes, bem nutridos, muitos deles chegando à obesidade.

             ALVES, Rubem. Folha de S. Paulo, Caderno Mais!,  
                                                 30 maio 2006. (Adaptação).

.              

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!